Apagões no Estádio do Café levam Londrina e FPF para julgamento no STJD

Fernando Garcel


O Londrina Esporte Clube e a Federação Paranaense de Futebol serão julgados no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do futebol pelos apagões do Estádio do Café nas partidas da Copa do Brasil e Série B do Campeonato Brasileiro. Os processos serão julgados pela Quinta Comissão Disciplinar nesta quinta-feira (2).

Na partida contra o Cruzeiro, realizada no dia 10 de maio pela Copa do Brasil, o árbitro narrou na súmula um atraso de 18 minutos no início do jogo devido a falta de energia elétrica em duas torres situadas no lado posterior das cabines de imprensa. O mesmo problema ocorreu na partida contra o Náutico, pela Série B do Campeonato Brasileiro onde o reinício do jogo atrasou em 15 minutos por problemas na iluminação do estádio durante o intervalo.

De acordo com as denúncias, Londrina e Federação descumpriram os artigo 6 e 7 do Regulamento Geral das Competições da CBF ao deixar de tomar as medidas necessárias para realização das partidas gerando atraso no jogo.

Artigo 6 – Compete às Federações estaduais:
I – Adotar as providências, de ordem técnica e administrativa indispensáveis à logística e à segurança das partidas, inclusive as previstas no artigo 7º, nos incisos III a IV do artigo 164, e no artigo 275, todos da lei nº 10.671/03;

Artigo 7 – Compete ao clube detentor do mando de campo:
I – Adotar as providências, de ordem técnica e administrativa indispensáveis à logística e à segurança das partidas, inclusive as previstas na lei nº 10.671/03, em seus artigos 13,14 e seus parágrafos 1º ao 5º; 21, 22 e seus parágrafos 1º a 3º; 24 e seus parágrafos 1º e 2]; 25, 28,29,31,33 e seu parágrafo único.

Pelos fatos ocorridos nas partidas, o clube e a FPF podem ser multadas de R$ 100 a R$ 100 mil pelo STJD. Já o atraso no início da partida também pode render uma multa ao clube. Pelo regulamento, seria R$ 1 mil por minuto de atraso.

Previous ArticleNext Article