Apesar de tubarões, Krystian Kymerson vence etapa do Brasileiro de surfe

Folhapress


A 6ª etapa do Circuito Brasileiro de surfe, realizado no último final de semana, na Barra da Tijuca, no Rio, teve como vencedor o capixaba Krystian Kymerson. Mas além dos rivais, ele precisou superar também adversários inesperados: dois tubarões.
A presença dos animais, localizados na altura do Posto 5, interrompeu a competição por cerca de 20 minutos. Nada que diminuísse a empolgação de Kymerson após a prova;
“Estava na areia, me concentrando para a final quando o locutor avisou que tinha tubarão. Uma vez na Austrália, em um Pro Junior, eu estava na bateria e um surfista avistou um tubarão. Levantamos a mão e veio um jet ski. Saímos da água voando”, disse Kymerson, ao site Gazeta Online.
Não foi a primeira vez que uma competição de surfe no Brasil precisou ser paralisada em virtude de presença de tubarões na área da competição.
Em 2017, durante uma etapa do Campeonato Paranaense de surfe, em Matinhos, a prova foi cancelada após os competidores alegarem terem visto um tubarão próximo a eles.
No Circuito Mundial de surfe, não é incomum que etapas sejam interrompidas por causa de tubarões.
A mais recente deles aconteceu em abril, em Margaret River, na Austrália, quando dois ataques de tubarões serem registrados nas proximidades Gracetow, onde a competição seria realizada.
Os organizadores então decidiram então cancelar o evento.
O ataque mais famoso de tubarões em uma competição de surfe aconteceu em julho de 2015, quando o australiano Mick Fanning foi atacado durante a final da etapa de J-Bay, na África do Sul.
Ele  estava parado em sua prancha quando foi surpreendido pelo animal. Fanning tentou se proteger com a prancha e afastar o tubarão com socos. Ele conseguiu sair da água sem ferimentos.

Previous ArticleNext Article