Após dois jogos pelo Boa, goleiro Bruno volta à prisão

Redação


O goleiro Bruno Fernandes, condenado pela morte e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, se apresentou na tarde de quinta-feira (27), na Delegacia Regional de Varginha, no sul de Minas Gerais, dois dias depois que uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o atleta, que havia conseguido um habeas corpus e havia assinado contrato com o Boa Esporte, voltasse para a prisão. Bruno se apresentou às 14 horas e foi levado para a realização de exames antes de ir para o presídio.

Bruno estava solto desde o dia 24 de fevereiro, quando uma liminar do ministro Marco Aurélio Mello o liberou. Já o mandado de prisão foi expedido pelo Tribunal do Júri de Contagem e já foi encaminhado para a Comarca de Varginha, no Sul de Minas, onde Bruno joga pelo Boa Esporte e vive com a mulher, Ingrid Calheiros.
A comunicação do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a revogação da liberdade do atleta chegou hoje de manhã no Fórum Doutor Pedro Aleixo, em Contagem, na Grande BH. Depois disso, houve um despacho do juiz responsável para a expedição do mandado de prisão.

Na terça-feira, os ministros da Primeira Turma do STF revogaram a liberdade de Bruno por 3 votos a 1, após analisar um recurso impetrado pela mãe de Eliza contra a liberação do goleiro. Antes disso, em 24 de fevereiro, o ministro Marco Aurélio Mello concedeu um habeas corpus ao goleiro, dando a ele o direito de aguardar o julgamento de um recurso contra sua condenação em liberdade. O goleiro foi condenado em março de 2013 a 22 anos e seis meses de prisão e cumpriu seis anos e sete meses de prisão em regime fechado.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="427608" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]