Após lesão, Alemão retorna e define meta de gols no Paraná

Francielly Azevedo


O atacante Alemão deve atuar no duelo entre Paraná e Juventude, nesta sexta-feira (25), pela 22ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, às 20h30 (horário de Brasília), na Vila Capanema. O atleta retorna após recuperar uma contratura muscular na coxa.

O jogador disputou nove jogos com a camisa tricolor (sete como titular) e anotou quatro gols (mesmo número de Robson e Minho). O artilheiro da equipe na competição é Renatinho, que tem 7 gols convertidos.

Na Série B, o artilheiro é Tiago Marques, justamente do Juventude, adversário desta noite. O atacante balançou as redes 11 vezes. Jonatas Belusso, do Londrina, também tem 11 gols. Porém, o atleta já deixou o Tubarão para atuar pelo Al-Shabad, da Arábia Saudita.

“A gente sempre busca uma artilharia né. Claro que chegar e ver o artilheiro com 10 gols, 11 gols é complicado né. Porque o nível é forte, não é toda vez que você vai chegar e conseguir marcar dois gols, três gols em uma partida, mas te ajuda. Se um dia a gente conseguir ter essa felicidade de em uma partida marcar três gols, eu até posso brigar na artilharia, ou eu, ou qualquer outro jogador que jogue aqui. Vendo hoje a tabela assim, é bem difícil chegar na artilharia, mas eu tenho sim uma meta de gols, minha meta de gols é quanto mais melhor. Espero aí que eu possa chegar ali e colocar um número antes do outro, ficar só em um é complicado, eu quero passar dos 10 gols”, disse.

Trabalho do treinador 

Alemão também garantiu que o trabalho do técnico Lisca tem sido importante para equipe.

“O Lisca, antes do jogo contra o Luverdense, ficou 15 minutos explicando a movimentação dos meias. É muito importante o trabalho que o professor vem fazendo. Ele para, ensina, cobra os movimentos. Isso que tem que fazer. Os companheiros que treinam no time de baixo e jogam na defesa, vão falar que é muito difícil, pela movimentação que fazemos. Imagina os adversários no jogo. O trabalho do professor Lisca tem sido um fator muito bom. Porque ele para, ensina, cobra os movimentos e é isso que a gente tem que fazer”, afirmou.

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="450610" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]