Arena leiloada? Atlético-PR pode pagar dívida à Fomento Paraná

Redação

A Fomento Paraná (agência de crédito vinculada ao governo estadual) cobra na Justiça o valor do empréstimo de R$ 291 milhões repassados para a CAP S/A, sociedade criada pelo Atlético-PR para gerenciar a reforma da Arena da Baixada para a Copa 2014. A briga entre governo e rubro-negro em relação a dívida praticamente virou uma novela.

Segundo perícia judicial, o estádio está avaliado em R$ 634.950.000,00 e pode ser leiloado, caso o juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, determine que o Atlético faça o pagamento imediato do empréstimo concedido pelo poder público.

A briga atleticana está na divisão dos valores. Segundo o clube, a Fomento cobra o valor que deveria ser dividido entre governo estadual e prefeitura de Curitiba, firmado no acordo tripartite para as reformas da Arena. Sendo assim, as três partes dividiriam o valor final da obra, de R$ 354 milhões.

Nesta quinta-feira (10), o colunista Augusto Mafuz trouxe em sua coluna o caso à tona mais uma vez. O colunista afirma que o Atlético “contratou a Ernst & Young, uma das quatro maiores empresas de transações corporativas do mundo, para tratar da transformação do Atlético em sociedade anônima e negociar as suas ações”. Mafuz também escreveu que, dessa maneira, o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, estará “comandando a venda do que não é dele, o Atlético”.


 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook