Ataque a ônibus do Boca adia final da Libertadores para domingo

Roger Pereira e Folhapress


Depois de dois adiamentos de uma hora, River Plate e Boca Juniors chegaram a um acordo e decidiram adiar para as 18h (de Brasília) de domingo a partida decisiva da Libertadores da América prevista para as 18h deste sábado. O jogo precisou ser adiado por conta do ataque sofrido pelo ônibus da delegação do Boca Juniors quando se aproximava do estádio Monumental, campo do River, na tarde deste sábado.

A chegada da delegação do Boca Juniors ao estádio Monumental de Núñez, neste sábado (24), palco da decisão da Copa Libertadores, foi marcada por copos e pedras atirados contra o ônibus do time visitante. Para conter os torcedores do River, a polícia usou gás de pimenta e teria atingido a delegação do Boca.

Os atacantes Ábila, Beneddeto e Tevez teriam passado mal nos vestiários do estádio por causa dos efeitos do gás de pimenta, segundo o repórter Fernando Caetano, do Fox Sports.  Por conta disso, dirigentes do clube xeneize defenderam o adiamento da partida.

“Nos atiraram de tudo”, disse Cali Izquierdoz, do Boca Juniors, ao Olé. O ex-dirigente do clube Juan Carlos Crespi afirmou: “Nos jogaram gás pimenta, pedras, tudo”. Autor de um dos gols na primeira partida, Benedetto disse: “Jogaram gás de pimenta”.

Alguns jogadores do Boca, como Tevez, Zárate e Emmanuel Más, chegaram ao estádio com os rostos cobertos pela camisa.

A partida de ida da final também precisou ser adiada de sábado para domingo, na Bombonera, desta vez, por conta da forte chuva que atingiu Buenos Aires

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal