Athletico é tricampeão paranaense com belos gols nos acréscimos

Jorge de Sousa

Reprodução/Twitter Athletico Paranaense

Com dois gols nos acréscimos, o Athletico venceu por 2 a 1 com o Coritiba na noite desta quarta-feira (5) e conquistou o tricampeonato paranaense.

O duelo foi realizado no Couto Pereira, em Curitiba, sem a presença de público devido a pandemia da Covid-19.

Sabino abriu o placar na primeira etapa, mas Khellven e Nikão viraram a partida nos dois minutos finais da partida.

Esse foi o primeiro título de Dorival Júnior no comando do Ceará, sendo que o treinador já havia vencido o Campeonato Paranaense em 2008, justamente pelo Coritiba.

Esse foi o segundo tricampeonato paranaense da história do Athletico, que já havia conquistado três títulos em sequência entre 2000 e 2002.

Com o Campeonato Brasileiro começando neste final de semana, as duas equipes entram neste sábado (8) em campo.

O Athletico viaja para encerar o Fortaleza, às 19h, na Arena Castelão, enquanto o Coritiba recebe o Internacional, às 19h30, no Couto Pereira.

CORITIBA DOMINA, MAS ATHLETICO CRESCE NO FINAL

Reprodução/Twitter Coritiba Foot Ball Club

Diferente da partida na Arena da Baixada, os primeiros 45 minutos no Couto Pereira mostraram maior ações ofensivas das duas equipes.

Mas aos 25 minutos, Rafinha sofreu uma entrada violenta de Abner Vinícius e saiu carregado do gramado com uma suspeita de fratura na perna, dando lugar a Thiago Lopes.

A primeira defesa do jogo foi feita por Alex Muralha aos 33 minutos. Carlos Eduardo avançou pelo centro e da entrada da área finalizou. A bola desviou na zaga e o goleiro caiu no canto esquerdo para defender sem dar rebote.

O Coritiba respondeu aos 36 minutos. Matheus Galdezani roubou bola no meio de campo e abriu o jogo pela esquerda. Igor Jesus tentou o chute cruzado e Santos espalmou.

Mas aos 49 minutos, Robson ganhou pelo alto de Adriano e o lateral puxou o atacante pela camisa. Pênalti assinalado pelo árbitro Rodolpho Toski Marques.

Sabino foi para a cobrança e com tranquilidade deslocou Santos, batendo firme no canto direito para abrir o placar.

O segundo tempo começou mais truncado, mas o Coritiba quase ampliou o placar aos 17 minutos. Sabino fez bom desarme na defesa e lançou Robson. O atacante avançou, limpou a jogada na área e finalizou cruzado perto do poste esquerdo.

A resposta do Athletico foi aos 24 minutos. Léo Cittadini arriscou o remate da intermediária e Alex Muralha caiu no canto direito para ficar com a bola.

O Coritiba precisou fazer outra alteração por problema físico aos 24 minutos. Igor Jesus sofreu com uma lesão muscular e precisou ser substituído por Vanderlei.

Santos fez outro ‘milagre’ aos 26 minutos. William Matheus cruzou da esquerda na pequena área e Gabriel chegou batendo de primeira, mas parou em grande intervenção do arqueiro.

Wellington teve a chance de marcar o gol do título aos 33 minutos. Marquinhos Gabriel serviu Pedrinho na área e o atacante rolou de calcanhar para o meio da área. O volante chegou batendo de primeira, mas mandou a bola por cima da meta.

Aos 35 minutos, Rodolpho Toski Marques se confundiu nas anotações e expulsou Marquinhos Gabriel por dois cartões amarelos. Mas como o meia não havia sido punido, o árbitro cancelou a exclusão do atleta.

Após reclamar de uma falta em Robson na ponta esquerda, Dorival Júnior foi expulso por Rodolpho Toski Marques, aos 40 minutos.

Só que Dorival Júnior perdeu dois belos gols que garantiram o título do Athletico. Primeiro aos 46 minutos, Khellven arriscou da intermediária e acertou o ângulo esquerdo de Alex Muralha.

Já aos 48 minutos, Nikão foi lançado e ao ver Alex Muralha adiantado, deu um tapa por baixo da bola e encobriu o goleiro para anotar outro golaço.

Previous ArticleNext Article