Athletico alega danos de R$ 35 mil na Arena causados pela torcida do Coritiba e provoca: “diferença de grandeza”

Vinicius Cordeiro



A diretoria do Athletico soltou uma nota na tarde desta quarta-feira (24) que alega que torcedores do Coritiba danificaram cadeiras e banheiros da Arena da Baixada durante a final da Taça Dirceu Krüger.

Na decisão, o Furacão venceu o Coxa nos pênaltis, o que levou o Rubro-Negro à final do Estadual contra o Toledo, campeão da Taça Barcímio Sicupira. No final das contas, o time athleticano acabou se sagrando bicampeão estadual.

O texto aponta que 174 cadeiras do estádio foram quebradas, assim como “divisórias de mictórios, tampas de vasos sanitários e dispensers de sabonetes”. Diante esse cenário e a recusa da diretoria alviverde em arcar com os gastos de reparo, o Athletico entrará com ações para responsabilizar individualmente os torcedores que causaram os estragos e entrará com processo para que o Coritiba se responsabilize pelos valores.

Além disso, o clube rubro-negro ainda reafirma sua posição em adotar a ‘torcida humana’, que não permite a entrada de torcida adversária na Arena.

PROVOCAÇÕES

Os dirigentes do Furacão lamentaram que o Coxa se recusou a arcar com os custos, que chegam ao valor de R$ 35 mil. Entretanto, ao longo do texto, o Rubro-Negro faz diversas provocações ao rival: “Torcida que não sabe perder!“, e “resistência (…) talvez motivada pela diferença de grandeza que atualmente existe entre as instituições Athletico e Coritiba nos aspectos de patrimônio, receitas, campeonatos, competições e conquistas” são trechos que alfinetam o lado alviverde da capital paranaense.

A nota ainda fala que o Athletico aguarda que o Coxa reveja suas decisões “tomadas em bases emocionais e não racionais” e termina com “Sem nossos respeitos e admiração”.

Leia também: Sem clube há seis meses, Thiago Larghi fica admirado com Athletico e nega oferta do Coritiba

Confira o texto na íntegra:

O Athletico Paranaense, conforme já divulgado, novamente vem perante os seus torcedores e o público em geral informar que, na partida ocorrida na Arena, no dia 10 de abril, entre Athletico e Coritiba, pela final da Taça Dirceu Krüger, torcedores do Coritiba danificaram intencionalmente o patrimônio do CAP com a quebra de 174 cadeiras, divisórias de mictórios, tampas de vasos sanitários e dispensers de sabonetes.

Para resolver amigavelmente a questão, o Athletico encaminhou ao Coritiba um relatório completo com as imagens e as comprovações dos danos, cobrando somente os custos efetivos do prejuízo sofrido, que ultrapassaram o montante de 35 mil reais.

A postura do Coritiba foi de lamentar o ocorrido, mas negar qualquer responsabilidade para com a situação e muito menos com os valores!

O Club Athletico Paranaense lamenta a decisão do Coritiba de não assumir os custos dos danos provocados por sua torcida no Athletiba da final da Taça Dirceu Krüger. Torcida que não sabe perder!

Lembramos que o Athletico é defensor do projeto da torcida humana, pois vivencia na prática a violência que as torcidas praticam antes, durante e depois dos jogos.

Além das medidas de responsabilização individual destes torcedores (a situação já é objeto de investigação na Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos – BO n.º 2019/442600), o Athletico comunica que adotará as medidas jurídicas cabíveis contra o Coritiba para cobrança dos valores e responsabilização de seus dirigentes e do clube.

O Athletico manifesta a sua profunda decepção com a posição adotada da atual Presidência da instituição Coritiba e lamenta profundamente ter que se utilizar das vias jurídicas para a solução de atos e fatos objetivos e de sua responsabilidade!

O Athletico tem se reaproximado cada vez mais dos clubes paranaenses no anseio de unir-se a estes para o fortalecimento do futebol no Estado (adesão ao contrato de televisionamento do Campeonato Estadual de 2019, negociação conjunta de direitos da TV Fechada, empréstimo de atletas, entre outros).

Em que pese esta aproximação, nota-se uma injustificada resistência do Coritiba, talvez motivada pela diferença de grandeza que atualmente existe entre as instituições Athletico e Coritiba nos aspectos de patrimônio, receitas, campeonatos, competições e conquistas.

O Athletico sinceramente espera que um clube centenário como o Coritiba possa em tempo rever a sua posição e evitar que decisões administrativas sejam tomadas em bases emocionais e não racionais. É um comportamento inábil e contraproducente que não condiz com a situação do atual Coritiba.

Esta falta de fair play e reciprocidade fará que o Athletico volte a atuar de forma individual e isolada em situações que evolvem interesses coletivos.

Com isto, todos perdem e o futebol paranaense passa a ser o maior prejudicado.

Sem nossos respeitos e admiração.

A Direção

Previous ArticleNext Article