Athletico tem pênalti e gol anulados e empata com o Estudiantes na Libertadores

Rubro-Negro empatou em 0 a 0 e agora vai decidir na Argentina uma vaga na semifinal da Libertadores; novo empate leva a decisão para os pênaltis

Pedro Melo - 04 de agosto de 2022, 23:23

(Geraldo Bubniak/AGB)
(Geraldo Bubniak/AGB)

Em jogo cheio de polêmica, o Athletico apenas empatou com o Estudiantes, da Argentina, em 0 a 0, na noite desta quinta-feira (04), na Arena da Baixada, e vai decidir fora de casa a vaga na semifinal da Libertadores.

O Rubro-Negro deixou o campo reclamando da arbitragem, principalmente por um pênalti anulado ainda no primeiro tempo após toque no braço de Godoy. Já na etapa final, Thiago Heleno chegou a marcar o gol da vitória, mas o VAR anulou por impedimento de Khellven na hora do cruzamento.

Com o empate na Arena da Baixada, o vencedor do segundo jogo se classifica para a semifinal da Libertadores. Em caso de novo empate, independente da quantidade de gols, a decisão vai para os pênaltis.

A partida de volta acontece na próxima quinta-feira (11), às 21h30, no estádio Jorge Luis Hirschi, em La Plata, na Argentina. Antes, o Rubro-Negro joga pelo Campeonato Brasileiro contra o Atlético-MG, no domingo (07), às 19h, no Mineirão.

ATHLETICO PRESSIONA, MAS NÃO FURA A DEFESA DO ESTUDIANTES NO PRIMEIRO JOGO DAS QUARTAS DA LIBERTADORES

O primeiro tempo teve o Athletico com mais posse de bola, mas sem criar muitas chances de gol. O Estudiantes apostou na bola aérea e teve o primeiro lance de perigo aos 16 minutos. Zuqui cobrou escanteio no meio da área, Rogel subiu mais que toda a defesa rubro-negra e cabeceou forte para grande defesa do goleiro Bento.

O Rubro-Negro chegou a ter um pênalti marcado aos 24 minutos, quando a bola tocou no braço do zagueiro Godoy. Porém, o árbitro Jesús Valenzuela, que estava perto do lance, voltou atrás após indicação do VAR o e de olhar o lance no vídeo. A torcida rubro-negra ficou na bronca com a decisão da arbitragem.

Na reta final, o Furacão quase marcou em dois lances de bola parada. Aos 35 minutos, Khellven cobrou falta ensaiada e o Andújar espalmou para escanteio. E aos 41, Tomás Cuello foi quem chutou no lance ensaiado e o goleiro do Estudiantes defendeu novamente.

A etapa final começou com o Estudiantes dando um susto no Athletico. Aos seis minutos, Zuqui cobrou escanteio bem aberto e Lollo ajeitou para a entrada da área. Piatti chutou forte e Bento se esticou todo para espalmar. Após o lance, o assistente marcou impedimento durante a jogada.

O Rubro-Negro estava com muitas dificuldades para furar a defesa argentina. Por isso, o técnico Felipão mudou o sistema ofensivo com as entradas do jovem Vitor Roque e do estreante Alex Santana nos lugares de Pablo e David Terans, respectivamente.

Pouco tempo depois, mais duas mudanças: Vitinho e Léo Cittadini nas vagas de Hugo Moura e Canobbio. Com novo gás no ataque, o Athletico pressionou ainda mais em busca do gol da vitória. Aos 27, Khellven cobrou falta na área, Fernandinho desviou na primeira trave e Pedro Henrique, livre de marcação, cabeceou para fora. No minuto seguinte, Léo Cittadini desviou o cruzamento e a bola passou perto da meta.

A pressão rubro-negra seguiu e aos 30, Fernandinho, após cobrança de escanteio sem muita altura, desviou de primeira, mas a bola foi por cima, dando mais um susto de Andújar. E o gol do Athletico até saiu com Thiago Heleno, aos 36, porém, o VAR anulou por impedimento de Khellven na hora do cruzamento.

O Athletico ainda teve uma última chance nos acréscimos. Aos 47 minutos, Khellven cobrou falta por cima da barreira e a bola passou raspando na trave. Já no minuto seguinte, o Estudiantes quase marcou o gol, mas o chute de Pellegrino passou à direita.

FICHA TÉCNICA - ATHLETICO 0X0 ESTUDIANTES

Data, horário e local: quinta-feira (04), às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Athletico: Bento; Khellven, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Hugo Moura (Vitinho), Fernandinho e David Terans (Alex Santana); Canobbio (Léo Cittadini), Pablo (Vitor Roque) e Tomás Cuello (Rômulo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Estudiantes: Andújar; Godoy, Rogel, Morel, Lollo e Más; Castro, Zuqui (Paz), Rodríguez e Piatti (Rollheiser); Méndez (Pellegrino). Técnico: Ricardo Zielinski.

Cartões amarelos: Fernandinho e Hugo Moura (CAP); Piatti, Rogel, Castro e Más (EST).

Arbitragem: Jesús Valenzuela (VEN), auxiliado por Jorge Urrego (VEN) e Túlio Moreno (VEN). O VAR é Júlio Bascuñan (CHI), com assistência de Rodrigo Carvajal (CHI).