Athletico decepciona em ano de investimento recorde e volta a lutar contra rebaixamento

Redação

petraglia quadrilha do relógio athletico-pr

O Athletico entrou em 2020 com altas expectativas, após atingir R$ 567 milhões em receita bruta nas duas temporadas anteriores, sendo R$ 63 milhões somente em superávit em 2019.

Mas essas expectativas não se cumpriram em campo e o Athletico terminou o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na penúltima colocação, com apenas 16 pontos ganhos em 18 jogos.

Dentro das competições mata-mata a equipe perdeu a chance de liderar o Grupo C da Copa Libertadores contra Jorge Wilstermann, Peñarol e Colo Colo, tendo assim que enfrentar o River Plate logo nas oitavas de final.

Já na Copa do Brasil, a equipe foi sorteada para um duro confronto contra o Flamengo. Após a derrota por 1 a 0 na Arena da Baixada na última semana, a equipe viajou para o Rio de Janeiro sem dois titulares – Nikão e Léo Cittadini, poupados devido a sequência de jogos. Com isso, no jogo desta quarta (4), perdeu novamente e foi eliminado.

Durante o programa Depois do Jogo do canal BandSports no último domingo (1), os jornalistas Napoleão de Almeida e Paulo Massini discutiram a situação do Athletico.

“O Athletico hoje é refém de um homem que já se declarou incapaz de entender futebol e quando conquistou os títulos tinha gente que entendia de futebol. Mérito do Tiago Nunes e de duas joias da base como Bruno Guimarães e Renan Lodi. Aí você faz uma mudança, brinca de fazer futebol e o clube é candidatíssimo ao rebaixamento. Eu não vejo esse time ganhando dez partidas no segundo turno”, avaliou Napoleão.

Dentre as principais causas desse baixo rendimento estão alguns investimentos no elenco que ainda não justificaram as cifras. Como é o caso do atacante Carlos Eduardo outros R$ 4,9 milhões e dos salários de Adriano e Marquinhos Gabriel (ambos já fora do clube), mas que recebiam os maiores vencimentos do time profissional enquanto estavam em Curitiba.

O responsável pela direção do futebol durante maior parte da temporada foi Paulo André, que pediu demissão nas últimas semanas, após a chegada de Paulo Autuori ao clube.

Autuori irá em 2020 manter as funções de diretor de futebol e também de técnico, tendo assim o desafio de salvar a equipe do rebaixamento e também de reformular internamente o elenco, já que o Athletico está impossibilitado de fazer contratações até julho de 2021, após punição da FIFA pela contratação do atacante Rony.

LEIA MAIS: Athletico decide oitavas da Copa do Brasil contra o Flamengo, no Macaranã; veja onde assistir

Previous ArticleNext Article