Ponto positivo na estreia, Rony sela titularidade e projeta vitória dentro da Arena

Vinicius Cordeiro


Rony foi quem mais chamou a atenção na derrota do Athletico para o Tolima, por 1 a 0, nesta terça-feira (6), pelo primeiro duelo do Furacão na Libertadores 2019. Elogiado pelo técnico Tiago Nunes antes do jogo, o atacante teve disposição de sobra e foi o jogador mais participativo do Rubro-Negro.

“Agradeço ao Tiago pela oportunidade que vem me dando. Vamos buscar corrigir os erros e sabemos da importância de vencer e vamos focar. Somar pontos dentro de casa é fundamental”, projetou ele.

Com duas finalizações de cada, Rony, Marco Rúben e Renan Lodi foram os homens que mais arremataram à meta colombiana. Além disso, o camisa 7 teve sete recuperações de bola durante os 90 minutos e foi o líder do ranking. Os números são das estatísticas oficiais da Conmebol.

Reserva no ano passado, Rony vai superando a concorrência de Marcelo Cirino. O jogador de 23 anos já havia sido importante na conquista do título da Copa Sul-Americana e agora vai tirando proveito da ótima forma física para ser uma das principais armas ofensivas da equipe.

O Athletico se prepara agora para enfrentar o Jorge Wilstermann, da Bolívia. O confronto está marcado para a quinta-feira (14) da semana que vem, às 21h, na Arena da Baixada.

Treinador minimiza falta de ritmo de jogo

Tiago Nunes não acredita que o ritmo de jogo de seus atletas influenciou no resultado. Vale lembrar que a equipe fez apenas dois amistosos em dois meses de preparação – vitórias diante o General Díaz (2 a 1) e Guaraní (3 a 0), ambos do Paraguai. 

“Não é o mais justo colocar no ritmo de jogo. Naturalmente mais jogos fazem falta, mas poderíamos ter melhor rendimento por questões nossas”, opinou o comandante.

Nunes ter dito saído satisfeito em relação à criação ofensiva. Segundo os scouts do clube, o Rubro-Negro finalizou 15 vezes e teve quatro chances claras de gol – comprovando a produção do ataque.

Entretanto, será necessário ter atenção na parte defensiva. Além do gol sofrido em bola parada, o Athletico sofreu riscos em bolas levantadas na área.

“Nossa bola parada defensiva é um ponto que somos muito fortes e que tivemos dificuldade em função do posicionamento e qualidade do Tolima. Os atacantes deles tiveram boa vantagem na bola de cruzamento lateral”, completou o treinador.

Outro ponto negativo foi a construção das jogadas. A escolha por Camacho como primeiro volante não surtiu efeito e o comandante acabou promovendo a entrada de Marcelo Cirino em seu lugar. Ele ainda deve perder espaço com o retorno de Lucho González, meio campista argentino que vai aprimorando sua forma física.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="599741" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]