Athletico x Atlético-MG: CBF define arbitragem da final da Copa do Brasil

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou a escala de arbitragem do segundo jogo da final da Copa do Brasil en..

Pedro Melo - 13 de dezembro de 2021, 16:22

(Geraldo Bubniak/AGB)
(Geraldo Bubniak/AGB)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou a escala de arbitragem do segundo jogo da final da Copa do Brasil entre Athletico e Atlético-MG. Um dos principais árbitros do Brasil, o gaúcho Anderson Daronco apita a decisão que acontece na quarta-feira (15), às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba. O Paraná Portal acompanha a partida em tempo real.

Os assistentes de Daronco são Marcelo Carvalho Van Gasse, de São Paulo, e Rafael da Silva Alves, também do Rio Grande do Sul. O responsável pelo VAR é Daniel Nobre Bins, enquanto o assistente de vídeo é Andre da Silva Bittencourt. Os dois também são da federação gaúcha.

Daronco comanda a segunda partida do Athletico na Copa do Brasil. Ele esteve na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-GO, na ida das oitavas de final, em 28 de julho. O gaúcho ainda apitou o triunfo do Furacão por 2 a 0 contra o Red Bull Bragantino, em 07 de novembro.

Em relação aos jogos do Galo, o árbitro trabalhou em cinco partidas na temporada: vitória sobre o Fluminense por 2 a 1, nas oitavas da Copa do Brasil, e triunfos sobre América-MG e São Paulo, empate com o Palmeiras e derrota para o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro.

O Atlético-MG abriu grande vantagem na decisão da Copa do Brasil com a goleada por 4 a 0 sobre o Athletico. O Galo pode perder por até três gols de diferença que ainda garante o título. Já o Furacão precisa ganhar por quatro gols para levar a decisão para os pênaltis ou por, no mínimo, cinco para ganhar ainda no tempo normal.

ATHLETICO RECLAMOU DA ARBITRAGEM NO 1º JOGO DA FINAL DA COPA DO BRASIL

A arbitragem do carioca Bruno Arleu de Araújo no jogo de ida foi muito questionada pelos jogadores do Athletico. A maior reclamação do Athletico foi no lance do primeiro gol do Atlético-MG. Após cruzamento de Zaracho, a bola tocou no braço de Léo Cittadini e o árbitro marcou a penalidade máxima. Além disso, outras críticas foram sobre lances com critérios diferentes durante a partida.

"Uma arbitragem como essa, com todo respeito, não pode. No primeiro lance aqui com o Kayzer, o Mariano deu um tapa na cara dele e aí não é falta, não é para cartão. Nas faltas seguintes, ele começa a distribuir amarelo para o nosso time. Que critério é esse? A gente não entende", criticou o atacante Pedro Rocha, em entrevista à Globo.