Atlético-PR proíbe a venda de produtos com a marca do clube pela Fanáticos

Redação


A diretoria do Atlético-PR notificou a torcida organizada Os Fanáticos para que o grupo pare de explorar comercialmente a marca do clube. O Furacão alega que a torcida explora e comercializa a marca “CAP” sem autorização.

A atitude do clube é reflexo do racha com a torcida organizada e que foi, inclusive, publicada em seu site oficial em junho deste ano após o episódio envolvendo as ‘cusparadas’ de um torcedor rubro-negro no goleiro do Santos, Vanderlei, ex-Coritiba, que terminou com uma multa aplicada Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) no mês seguinte.

> Atlético-PR é multado pelo STJD por ‘cusparadas’ em goleiro
> Atlético-PR quer extinguir Fanáticos e outras organizadas

A diretoria também pediu, por meio de um manifesto, a extinção das organizadas.

De acordo com o Atlético-PR, a venda de produtos da organizada com a marca do clube viola os direitos de propriedade, visto que apresenta “concorrência desleal e desvio de clientela”. Antes, o clube já havia acusado as torcidas de explorar economicamente símbolos, imagens e de serem “verdadeiros concorrentes no mercado”. Em nota, o Atlético-PR também afirmou que “para essas torcidas, mais importante do que estar presente no estádio torcendo pelo Furacão é hastear faixas e bandeiras próprias e vestir suas camisas, com a única finalidade de expor a sua marca”.

Segundo Os Fanáticos, o grupo tentou várias vezes acordos e que não se incomodaria em pagar “royalties, comprar etiquetas, ou licenciar produtos”, mas que as propostas sempre foram rejeitadas pelo clube. Em nota, a organizada afirma que todo o lucro obtido com a venda dos produtos era revertida em “confecção de faixas, bandeiras, bandeirões e manutenção dos instrumentos da bateria, compra de adereços, etc”.

O comunicado é extraoficial, mas a torcida deve acatar a decisão do clube e parar a comercialização dos produtos com a marca. “Nós utilizamos esta marca em nosso peito por amor, por paixão, paixão que provamos diariamente existir pelo Atlético dentro de cada um de nós, por nos orgulharmos da nossa história e da escolha em torcer pelo maior time do estado”, diz em nota que afirma que a data ficará marcada como a morte do diálogo com a diretoria do clube.

Proibição nos estádios

Os ânimos entre a diretoria do clube e as torcidas organizadas ficaram acirrados no início do ano. O clube proibiu a presença d’Os Fanáticos, assim como já aconteceu com a Ultras, e chegou a devolver os materiais que ficavam guardados para ser utilizados nas partidas. Ficaram proibidas dentro da Arena da Baixada bandeiras, todo e qualquer tipo de vestuário (camisas, calças, bermudas e bonés de torcida organizada), faixas de qualquer tamanho, baterias e demais instrumentos musicais, além dos conhecidos adereços de mão como as caveiras e outros.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="377983" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]