Atlético-PR “se vinga” do Rio Branco com goleada histórica

Roger Pereira

Algoz do Atlético-PR na semifinal da Taça Dionísio Filho, o primeiro turno do Campeonato Paranaense, quando eliminou o Furacão nos pênaltis, em plena Arena da Baixada, depois de um empate em 0 a 0, o Rio Branco foi presa fácil neste sábado, na terceira rodada do returno (Taça Caio Júnior), sofrendo a maior goleada da competição, 7 a 1.

Se na semifinal da Taça Dionísio Filho o Furacão não conseguiu furar o bloqueio parnanguara, empatando a partida em 0 a 0, num jogo de ataque contra defesa, nesta sábado o Atlético foi bem mais eficiente e não faltaram gols.

O primeiro deles saiu em um lance polêmico. Aos 8 minutos de jogo, o árbitro marcou recuo de bola de William para o goleiro Jhones, que a pegou com as mãos. O jogador do Rio Branco se revoltou, alegando não ter encostado na bola e apenas protegido o lance para a saída do goleiro. Depois de três minutos de reclamações e cartão amarelo para Vandinho, a falta foi confirmada e, na cobrança em dois lances, Matheus Anjos rolou para João Pedro acertar o ângulo e abrir o placar.

O Atlético aumentou aos 17 minutos, após troca de passes entre Matheus Anjos e Ederson, João Pedro recebeu na área, ganhou do zagueiro e bateu cruzado para fazer seu segundo gol na partida.


Artilheiro do Paranaense, Ederson também deixou sua marca. Aos 38 minutos, Alex, que entrou no lugar de João Pedro, machucado, fez grande jogada pela esquerda e achou Ederson livre para finalizar, fazendo 3 a 0.

Na saída de bola, o Rio Branco diminuiu com Tcharlles, que arriscou de meia distância e contou com o desvio da marcação para fazer o que seria o gol de honra do Rio Branco.

O segundo tempo começou mais morno, com os dois times errando muitos passes e não criando chances reais de gol até os 19 minutos, quando o Rio Branco ficou com um jogador a menos, após Willian Thuram receber o segundo cartão amarelo por falta em Alex. Depois da expulsão, o time do litoral ficou ainda mais vulnerável e o Atlético não teve piedade.

Aos 21 minutos, Diego fez jogada individual para invadir a área adversária e cruzou para Bruno Guimarães, que chegou fuzilando para fazer o quarto gol. O quinto veio em um escanteio. A zaga desviou a cobrança, mas a sobra ficou com Matheus Anjos, que cruzou novamente na área e encontrou Léo Pereira, que cabeceou por cima do goleiro.

E teve mais. Aos 33 minutos, Bruno Guimarães avançou com a bola e encorou Nicolas livre na esquerda. O lateral finalizou cruzado e fez o sexto do Furacão. O emblemático placar de 7 a 1 saiu em uma lambança do goleiro Jhones. Ele recebeu uma bola recuada, desta vez com os pés, mas tentou driblar Alex. O meia roubou a bola e empurrou para o gol vazio, fechando a goleada, aos 42 minutos.

Com o resultado, o Atlético se isola na liderança do Grupo B, com 9 pontos em três jogos disputados no segundo turno, enquanto o Rio Branco é o lanterna, sem nenhum ponto.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
Comentários de Facebook