Atlético-PR toma virada do Cruzeiro e se complica na Copa do Brasil

Roger Pereira

O sistema de jogo adotado por Fernando Diniz no Atlético-PR oferece emoções até o último minuto. E, mais uma vez, o Furacão pagou caro, com um gol aos 34 e outro aos 48 minutos do segundo tempo, o Cruzeiro venceu de virada, por 2 a 1, em plena Arena da Baixada (sem torcida visitante) na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, levando a vantagem do empate para a partida decisiva, em julho, após a Copa do Mundo, no Mineirão.

A quarta derrota seguida do Atlético (terceira na Arena) se desenhou de maneira semelhante aos tropeços anteriores. Dominante na posse de bola, mas sem criar muitas chances reais de gol, o Furacão oferecia o contra-ataque ao adversário, além dos sustos nos erros de saída de bola, caraterística do estilo de jogo imposto por Diniz.

Sassá, no primeiro tempo, perdeu duas dessas chances dadas de presente pela defesa atleticana, parando em Santos, ou finalizando para fora. E, numa cobrança de falta, aos 41 minutos, Thiago Carleto abriu o placar para o Furacão.

O gol de empate do Cruzeiro só saiu aos 34 minutos do segundo tempo. Henrique aproveitou uma sobra de bola na intermediária e arriscou para o gol. A bola desviou em Thiago Heleno e enganou Santos. Aos 48’, a virada, numa jogada que a torcida atleticana já se acostumou a ver sua defesa vazada: lançamento direto do campo de defesa para o centroavante. Desta vez, o chutão da zaga do Cruzeiro encontrou Raniel, mano a mano com a defesa atleticana. Ele não teve dificuldades em girar e bater na saída de Santos, fazendo o gol da vitória e deixando o Cruzeiro em situação confortável para a partida de volta.


Além de amargar a quarta derrota consecutiva (Palmeiras, Newell’s Old Boys e Atlético Mineiro, antes desta partida) o Furacão já não vence há mais de um mês, ou sete jogos, desde que bateu a Chapecoense na abertura do Campeonato Brasileiro.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
Comentários de Facebook