Brasil vence a Arábia Saudita, garante liderança e pega o Egito nas quartas das Olimpíadas

Vinicius Cordeiro

brasil seleção brasileira arábia saudita olimpíadas

Com dificuldade, a seleção olímpica brasileira venceu a Arábia Saudita por 3 a 1 nesta quarta-feira (28) e se classificou para as quartas de final das Olimpíadas de Tóquio como primeiro colocado do Grupo D. O Brasil abriu o placar com Matheus Cunha, mas Al Amri igualou tudo ainda na primeira etapa. No segundo tempo, Richarlison marcou duas vezes e decretou o triunfo no estádio de Saitama, no Japão, além de ter outro gol anulado.

Com isso, o próximo adversário será o Egito, país que ficou com a segunda colocação do Grupo C. A chave foi encerrada hoje, com os egípcios eliminando a Argentina pelo saldo de gols – um positivo para os africanos e um negativo para os hermanos.

No outro duelo entre as duas chaves, a Costa do Marfim (que eliminou a Alemanha) enfrentará a Espanha.

O jogo entre Brasil e Egito está marcado para o próximo sábado (31), às 7h (horário de Brasília).

SELEÇÃO OLÍMPICA MELHORA E ENCERRA PRIMEIRA FASE DAS OLIMPÍADAS

A Arábia Saudita já entrou em campo eliminada das Olimpíadas, mas não facilitou a vida do Brasil. Sob marcação forte, a seleção brasileira abriu o placar na bola parada, aos 13 minutos. Claudinho cobrou o escanteio e Matheus Cunha apareceu bem para cabecear firme, com estilo, para o fundo das redes. Foi o primeiro gol do camisa 9 nos Jogos de Tóquio, já que ele desperdiçou um pênalti na estreia.

Contudo, a vantagem sul-americana durou pouco. Aos 26, Al Faraj levantou a bola na área do Brasil em cobrança de falta e Al Amri testou para empatar.

Claudinho bateu para a defesa do goleiro Al-Rubale, mas viu Nino salvar a seleção de tomar a virada. O zagueiro foi bem no cruzamento de Abdulhamid No fim, Guilherme Arana soltou uma bomba pela linha de fundo e viu Antony ser travado na pequena área após cruzamento de Matheus Cunha.

O técnico André Jardine mudou no intervalo: Antony saiu para a entrada de Malcolm. O time melhorou e seguiu criando boas chances. Richarlison arrematou fraco, nas mãos do goleiro, e Matheus Cunha carimbou a trave após o rebote na pancada de Matheus Henrique.

Os árabes continuaram assustando, mas o goleiro Santos foi bem no lance e espalmou a falta batida por Ghareeb. Richarlison deu a resposta com uma bomba para a defesa do goleiro.

O gol da vitória saiu aos 30 minutos. Daniel Alves cobrou falta na área e a zaga cortou parcialmente. Bruno Guimarães rebateu de cabeça e a bola foi para Richarlison cabecear e colocar a seleção brasileira olímpica em vantagem.

Aos 44, Richarlison marcou o terceiro. No entanto, a arbitragem pegou impedimento de Malcom no começo da jogada. O Pombo não desistiu e chegou ao quinto gol nas Olimpíadas nos acréscimos, superando o francês Gignac e assumindo a artilharia isolada do torneio.

BRASIL 2 x 1 ARÁBIA SAUDITA – FICHA TÉCNICA 

Data, hora e local: quarta-feira (28), às 5h (horário de Brasília), no estádio de Saitama, no Japão.

Gols: Al Amri (ARA); Matheus Cunha e Richarlison, duas vezes (BRA).

Cartões amarelos: Al Shahrani e Mukhtar (ARA); Guilherme Arana, Gabriel Martinelli e Daniel Alves (BRA).

Brasil: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana (Abner); Bruno Guimarães (Gabriel Menino), Matheus Henrique e Claudinho (Reinier); Antony (Malcolm), Richarlison e Matheus Cunha (Gabriel Martinelli). Técnico: André Jardine.

Arábia Saudita: Al-Rubaie; Abdulhamid, Al Amri, Hindi e Shahrani; Al-Faraj (Al Omran) e Al-Hassan (Mukhtar); Khulaif, Al-Najei e Al-Dawsari (Al Ghannam); Al Hamddan (Al Brikan). Técnico Saad Alshehri.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="778835" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]