Coritiba perde para time misto do Flamengo e se aproxima da ZR do Brasileiro

O Alviverde amarga o marca de pior visitante do Brasileirão, com seis derrotas e dois empates em oito jogos longe do Alto da Glória.

Rafael Nascimento - 16 de julho de 2022, 20:53

Foto: Guilherme Griebeler/Coritiba
Foto: Guilherme Griebeler/Coritiba

O Coritiba perdeu por 2 a 0 para o Flamengo na noite deste sábado (16), segue sem vencer fora de casa e se aproximou perigosamente da ZR do Campeonato Brasileiro. A partida, válida pela 17ª rodada da competição, foi realizada no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. 

O zagueiro Gustavo Henrique e o meio Diego, em cobranças de escanteio, anotaram os gols do Fla, ainda no primeiro tempo.

Com o revés, o Alviverde amarga o marca de pior visitante do Brasileirão. Em oito partidas longe do Alto da Glória, o time de Gustavo Morínigo acumula agora seis derrotas e dois empates, com aproveitamento inferior a 10%.

O resultado ainda deixa o Coritiba ainda mais ameaçado de ingressar na zona de rebaixamento. Embora se mantenha como 15º colocado, com 19 pontos, um único ponto separa a equipe do Ceará, que abre a ZR, com 18 pontos.

Todos os cinco times que estão abaixo do Alviverde na tabela ainda jogam na rodada.

O Flamengo, por sua vez, figura agora na 7ª colocação, com 24 pontos.

Sem vida fácil na Série A, o Coritiba terá outro jogo complicado na sequência do Brasileirão. Novamente fora de casa, a equipe encara o Corinthians na Neo Química Arena, em São Paulo, às 21h30 de quarta-feira (20).

Já o Rubro-Negro carioca recebe o vice-lanterna Juventude, às 20h30 do mesmo dia, mais uma vez no Mané Garrincha, em Brasília.

CORITIBA É ENCAIXOTADO PELO FLAMENGO NO MANÉ GARRINCHA E PERDE MAIS UMA FORA DE CASA

Em alta após a vitória maiúscula no meio da semana sobre o Atlético-MG, que garantiu o time nas quartas de final da Copa do Brasil, o Flamengo, mesmo com uma formação bem modificada, buscou envolver o Coritiba desde os primeiros minutos.

A primeira boa investida, entretanto, foi do Alviverde, após cruzamento de Egídio para Matías Galarza, mas o paraguaio furou a bola.

Só que o Flamengo não demorou para abrir o placar, em cobrança de escanteio. Aos 13 minutos, Gustavo Henrique ganhou no jogo aéreo da cozinha alviverde e escorou no canto direito de Alex Muralha, de volta à meta do Coxa: 1 a 0.

As raras oportunidades de ataque do Coritiba, como o contra-ataque puxado por Igor Paixão, aos 20, eram frustradas pelo sistema defensivo carioca.

Ao natural, o Flamengo ampliou o placar mais uma vez na bola parada. Aos 23, Marinho alçou a bola para o meio da área, em cobrança de escanteio, e Diego, livre de marcação, só deslocou para as redes: 2 a 0.

Marinho soltou um “mini míssil aleatório”, aos 28, mas a bola foi parar nas arquibancadas do Mané Garrincha, para a festa da torcida flamenguista.

Com claras dificuldades na criação, o Alviverde não conseguia desenvolver seu jogo ao passar do meio de campo. As finalizações mais perigosas foram um chute de fora da área de Egídio, aos 40 minutos, e uma cabeçada de Léo Gamalho, dois minutos depois.

Igor Paixão, logo no primeiro minuto da etapa final, tentou a finalização da grande área, mas foi desarmado por Ayrton Lucas.

Muralha salvou o Coritiba de levar o terceiro gol aos 3, mais uma vez na bola parada e com arremate à queima-roupa de Pedro. 

O Alviverde passou a povoar mais o campo adversário após as mudanças promovidas por Morínigo, especialmente com a entrada do meia Régis, mas o Flamengo seguiu com o amplo domínio das ações.

Depois de um cochilo de Willian Farias, o time carioca saiu em contra-ataque puxado por Marinho, que deixou Vitinho na cara do gol, mas o atacante chutou pra fora.

O Coxa ainda teve oportunidades com Léo Gamalho, Thonny Anderson e Alef Manga, mas não conseguiu descontar o marcador. Na melhor delas, Manga, em boa jogada individual, aos 42, carimbou a trave de Santos.