Bruno revela mágoa com ex-companheiros do Flamengo

O goleiro Bruno foi campeão brasileiro pelo Flamengo em 2009, mas logo em seguida caiu em desgraça pelo assassinato de E..

Redação - 28 de fevereiro de 2017, 16:53

O goleiro Bruno foi campeão brasileiro pelo Flamengo em 2009, mas logo em seguida caiu em desgraça pelo assassinato de Eliza Samúdio e foi preso. Para o atleta, faltou solidariedade dos amigos naquele tempo difícil. Em entrevista à Radio Itatiaia, de Belo Horizonte (MG), disse ter mágoa de seus ex-companheiros de time do Flamengo.

Ele afirmou que gostaria de ter recebido ao menos uma carta no período em que esteve na prisão. "Eu gostaria de ter recebido no mínimo uma carta daquele grupo de 2009 do Flamengo, com o qual fomos campeões brasileiros. Na verdade eu não quero nada de nenhum deles, mas naquele momento ali (seria importante), independentemente se Patrícia Amorim tivesse proibido, como alguns falaram para mim na época que proibiu", disse o jogador.

Segundo ele, mesmo com a presidente proibindo, seria possível alguma manifestação. "Mas se fosse com qualquer um deles, independentemente do que tivesse acontecido, eu mandaria uma carta. Seria até mais radical e iria lá visitar. Independentemente se o cara errou. 'Posso não concordar com o que você fez, mas vim aqui te ver'. Faltou prestar solidariedade. Eu só queria uma carta daquele pessoal", lamentou.

O goleiro está ligado ao time do Montes Claros, time ao qual assinou contrato ainda na prisão. Bruno recebeu habeas corpus nesta semana e já foi sondado por um clube chinês, mas o time mineiro quer R$ 2,8 milhões para liberá-lo.