CBF recusou pedidos para adiar jogo da Chape

Vinicius Cordeiro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) recusou dois pedidos de adiamento da partida entre Chapecoense e Criciúma, marcada para esta quarta-feira (27), às 19h15, na Arena Condá. A Chape solicitou que a data do confronto, válido pela terceira fase da Copa do Brasil, fosse postergado por causa da morte de Rafael Henzel.

Aos 45 anos, o jornalista teve um ataque cardíaco ontem (26), durante um futebol com amigos. Ele será sepultado às 16h de hoje, também em Chapecó.

Leia também: Sobrevivente da tragédia aérea da Chape, Rafael Henzel morre após infarto

Henzel ficou conhecido por ser um dos seis sobreviventes do acidente aéreo do dia 28 de novembro de 2016.


O avião levava a delegação do clube catarinense para a final da Copa Sul-Americana daquele ano, contra o Atlético Nacional, mas acabou caindo e causou 71 mortes. Além de jogadores, comissão técnica e funcionários da Chape, alguns integrantes da equipe de bordo do avião e jornalistas, que iriam cobrir a decisão, também faleceram.

Locutor da Rádio Oeste Capital FM, Henzel passou a comemorar dois aniversários desde a tragédia. Após a tragédia, ele escreveu o livro “Viva Como se Estivesse de Partida”, relembrando fatos do acidente e transmitindo uma mensagem de valorização à vida.

“Durante a sua brilhante carreira, Rafael narrou, de forma excepcional, a história da Chapecoense. Tornou-se um símbolo da reconstrução do clube e, nas páginas verde e brancas desta instituição, sempre haverá a lembrança do seu exemplo de superação e de tudo o que fez, com amor, pelo time, pela cidade de Chapecó e por todos os apaixonados por futebol”, comunicou a Associação Chapecoense de Futebol em seu Twitter, lamentando a morte do jornalista.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook