Clubes da parte baixa da tabela ensaiam virada de mesa no Paranaense

O PSTC, lanterna do Paranaense com apenas cinco pontos, pode ser o pivô de uma paralisação do Campeonato Paranaense. Alé..

Redação - 27 de março de 2017, 20:09

O PSTC, lanterna do Paranaense com apenas cinco pontos, pode ser o pivô de uma paralisação do Campeonato Paranaense. Além dele, outras equipes que corre risco de não se classificarem ou de serem rebaixadas começaram a se articular nos bastidores.

O PSTC quer entrar com um efeito suspensivo do Estadual para que a Federação Paranaense de Futebol (FPF) não homologue os jogos da primeira fase dos mata-mata, assim como, não defina os rebaixados. O impasse é provocado pelo não encerramento do caso Getterson, do Jotinha, que deverá ser julgado no Pleno do STJD na próxima semana, quando os jogos da segunda fase já estiverem ocorridos e os rebaixados definidos.

Já o Jotinha entrou com Embargo de Declaração junto ao TJD-PR, para que ele seja analisado na próxima quinta-feira, após a rodada do meio de semana. Mesmo com a vitória de seu recurso, o clube quer referendar a decisão e também esclarecer "pontos obscuros" da decisão.

Em entrevista à Rádio Transamérica, o advogado do PSTC, Ruan Stefankowski, reforça o pedido de não homologação. "O PSTC interpôs recurso de efeito suspensivo que pede que não aconteça a homologação da 2º fase e nem dos rebaixados", afirmou.  Apesar da ameaça, o advogado diz que se o clube de Cornélio Procópio não conseguir se classificar dentro de campo, poderá retirar o ação. "Se formos rebaixados abriremos mão da ação", disse.

O PSTC tem poucas chances de escapar do rebaixamento, o clube precisa vencer o Jotinha na quarta-feira e tirar 10 gols de saldo em relação ao Toledo para tentar a décima colocação, além de torcer por derrotas do próprio Toledo e do Rio Branco.

Por outro lado, o presidente do Foz, Arif Osman, disse que outros clubes estão se organizando para entrar com uma ação nesta terça-feira. "Estamos conversando em um grupo de dirigentes no WhatsApp e claro que temos interesse, é um interesse múltiplo", afirmou.

Caso o Jotinha seja absolvido pelo Pleno na próxima semana, o caso estaria totalmente encerrado, mas se perder, o clube perderá 16 pontos e será rebaixado, por supostamente ter escalado de forma irregular o atacante Getterson nas três primeiras rodadas.  Os clubes da parte de baixo da tabela se agarram a esta possibilidade para a salvação extra-campo.