Com muita polêmica, Athletico perde novamente para o Atlético-MG e fica sem o título da Copa do Brasil

O Athletico perdeu a segunda partida da final da Copa do Brasil para o Atlético-MG por 2 a 1, na noite desta quarta, na ..

Pedro Melo - 15 de dezembro de 2021, 23:29

O Athletico perdeu a segunda partida da final da Copa do Brasil para o Atlético-MG por 2 a 1, na noite desta quarta, na Arena da Baixada, e ficou sem o título da competição de mata-mata. O placar agregado foi de 6 a 1 para o Galo, que goleou em Belo Horizonte por 4 a 0.

Assim como aconteceu em Belo Horizonte, a arbitragem foi o centro das atenções na Arena da Baixada. Apenas no primeiro tempo, o Athletico reclamou muito do gol anulado de Pedro Rocha, por toque de mão, e de um pênalti não marcado em cima de David Terans. Já na etapa final, outro gol foi invalidado, desta vez por impedimento de Vinícius Mingotti. Os lances geraram muita revolta de torcedores, que tacaram copos no gramado.

Essa foi a última partida do Athletico na temporada, que teve o segundo título da Sul-Americana na final contra o Red Bull Bragantino. Além disso, o Rubro-Negro terminou em 14° lugar no Campeonato Brasileiro e foi semifinalista do Campeonato Paranaense.

Do outro lado, o Atlético-MG encerra uma das melhores temporadas de sua história. Além da Copa do Brasil, o Galo vendeu o Brasileirão, encerrando jejum de 50 anos, e o Campeonato Mineiro.

ATHLETICO RECLAMA DA ARBITRAGEM E SOFRE COM CONTRA-ATAQUES

A partida começou muito nervosa, com poucas jogadas de ataque e muita troca de empurrão entre os atletas. A tensão aumentou ainda aos 19 minutos, quando o Athletico chegou a abrir o placar. Pedro Rocha recebeu o cruzamento, ajeitou, livre de marcação e mandou a bola para o fundo das redes. O arbitro Anderson Daronco, porém, anulou por toque de mão do atacante rubro-negro.

E quando parecia que o Furacão estaria próximo do primeiro gol, o Atlético-MG armou um contra-ataque fatal e tirou o zero do placar. Aos 24, Marcinho errou na hora do corte e a bola sobrou nos pés de Vargas. O chileno avançou em velocidade e tocou para Zaracho, que tocou na medida para Keno. O atacante teve o trabalho apenas de completar para o fundo das redes.

O gol foi um balde de água fria para o Athletico, que ainda perdeu Renato Kayzer por lesão antes do intervalo. Além disso, a revolta rubro-negra aumentou com mais um lance polêmico nos acréscimos. Terans caiu na área depois de lance com Junior Alonso e o árbitro nada marcou.

Com uma larga vantagem, o Atlético-MG desacelerou durante o segundo tempo e explorou as jogadores em velocidade. Já o Athletico teve mais campo para atacar e criou chances para pelo menos evitar a derrota durante da torcida.

Aos cinco minutos, Terans cobrou escanteio na área, Jair tentou cortar no meio do área e quase marcou contra. Aos nove, Fernando Canesin chutou forte da entrada da área e o goleiro Everson mandou para escanteio. E aos 11, Vinícius Mingotti chegou a balançar as redes, mas o gol foi novamente anulado, desta vez por impedimento.

Enquanto o Athletico buscava o empate, o Atlético-MG aproveitou os espaços deixados na defesa e confirmou a vitória com o segundo gol aos 30 minutos. Savarino fez lançamento nas costas de Zé Ivaldo para Hulk. O camisa 7 saiu de cara com o goleiro Santos e deu um toque por cobertura para ampliar ainda mais a vantagem.

Já na reta final, o Athletico conseguiu o gol de honra da final da Copa do Brasil. Aos 41 minutos, Abner cruzou na área, Igor Rabello cortou mal e deixou Jaderson livre de marcação. O atacante cabeceou para as redes e descontou.

No minuto seguinte, o Atlético-MG até marcou o terceiro gol com Savarino, mas o assistente flagrou o impedimento e anulou.

FICHA TÉCNICA – ATHLETICO X ATLÉTICO-MG

Data, horário e local: quarta-feira (15), às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Athletico: Santos; Marcinho, Pedro Henrique, Zé Ivaldo e Abner; Erick, Christian e Léo Cittadini; David Terans, Renato Kayzer e Pedro Rocha. Técnico: Alberto Valentim.

Atlético-MG: Everson; Mariano, Rever, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair e Zaracho; Hulk, Vargas e Keno. Técnico: Cuca.

Gols: Keno (CAM), aos 35 minutos do primeiro tempo, Hulk (CAM), aos 30 do segundo tempo, e Jaderson (CAP), aos 41 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Abner Vinícius, Léo Cittadini e Renato Kayzer (CAP); Jair e Vargas (CAM).

Arbitragem: Anderson Daronco (RS), auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Rafael da Silva Alves (RS). O árbitro de vídeo é Daniel Nobre Bins (RS).

LEIA MAIS: Torcida do Atlético-MG chega em Curitiba com tiros e abordagem