Com nove gols no segundo tempo, Atlético passa pelo Tubarão e avança na Copa do Brasil

Roger Pereira


Num dos jogos mais incríveis da história da Copa do Brasil, Atlético e Tubarão protagonizaram uma partida com quatro viradas, que deu ao Furacão a passagem para a terceira fase da Copa do Brasil, com uma vitória por 5 a 4, com dois gols atleticanos marcados após os 45 minutos da etapa final. Todos os nove gols da partida foram marcados no segundo tempo.

Jogando apenas sua segunda partida oficial na temporada (está jogando o Campeonato Paranaense com o time de aspirantes), o Atlético impôs a proposta de jogo de Fernando Diniz, domingou a posse de bola e envolveu o adversário com toques curtos, mas falhou muito na defesa, deu espaços para o adversário e sofreu bastante para chegar à vitória.

O primeiro tempo foi de amplo domínio do Atlético, que desperdiçou ao menos seis boas oportunidades de gol, e pouco foi ameaçado. Quem viu o 0 a 0 da primeira etapa, não poderia imaginar o que o segundo tempo reservava.

Insatisfeito com a falta de pontaria no ataque, Diniz trocou o centro-avante no intervalo, voltando com Bergson no lugar de Ribamar. E a substituição deu resultado, o atacante abriu o placar para o Atlético logo aos seis minutos. Com o panorama da partida, era de se imaginar que o gol traria tranquilidade ao Atlético, uma vez que o Tubarão não estava levando perigo ao gol de Santos. Mas não foi o que aconteceu. Precisando de gols, o time catarinense se lançou ao ataque e aproveitou muito bem as falhas defensivas do Atlético, principalmente na bola parada.

Aos 10 minutos, Bergson fez uma falta desnecessária na ponta direita do ataque catarinense. Marcus Vinícius cobrou na cabeça de Matheus Barbosa, que empatou a partida. Aos 18’, numa jogada de lateral, Jean Cruzou e Batista cabeceou no ângulo, virando o placar.

Em desvantagem, Fernando Diniz abriu mão do esquema com três zagueiros e colocou Lucho Gonzales no lugar de Wanderson. O Atlético foi para o abafa e se expôs mais ainda aos contra-ataques. Num deles, aos 23’ minutos, Batista ficou cara-a-cara com Santos, mas finalizou em cima do goleiro atleticano. No lance seguinte o time catarinense foi castigado. Bergson chutou de fora da área, o goleiro deu rebote e Matheus Rosseto apareceu para empatar.

Cinco minutos depois, nova virada, agora do Furacão. Em bola cruzada na área, Nikão ajeitou de cabeça para o meio da área. Guilherme armou uma bicicleta e foi puxado por Guilherme Amorim, pênalti, que ele mesmo cobrou e fez 3 a 2.

Mas as surpresas do jogo estavam longe de acabar. Aos 33 minutos, mais uma vez em bola aérea, o Tubarão empatou, com Lucas Costa, de cabeça, depois de cobrança de escanteio. Aos 39’ a equipe catarinense encaixou mais um belo contra-ataque e, depois de uma troca de passes em três contra dois, Daniel Costa conseguiu uma incrível virada para os visitantes.

Com a eliminação iminente, o Atlético foi para o abafa e, aos 45’, conseguiu o empate, Thiago Heleno cabeceou no cantinho o cruzamento de Nikão. Quando todos já se preparavam para os pênaltis, Felipe Gedoz, que havia entrado aos 42 minutos, acertou um belo chute da entrada da área e fez 5 a 4 para o Atlético, num dos jogos mais malucos, da história da Arena da Baixada.

Classificado, o Atlético enfrentará o Ceará na terceira fase. A equipe nordestina eliminou o Londrina ao vencer, de virada, por 2 a 1, no Estádio do Café. A partir da terceira fase os confrontos serão decididos em dois jogos. O primeiro duelo será na Arena.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="485157" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]