Veja a média de público, a renda e os artilheiros da 1.ª fase da Copa América

Vinicius Cordeiro

Copa América

A fase de grupos da Copa América terminou. Até agora, foram 18 partidas e 46 gols marcados, média de 2,5 gol por jogo.

Fora de campo, muito se falou sobre a falta de público. Até agora, 528.829 pessoas estiveram na competição. Ou seja, uma média de 29.379 pessoas por partida.

O último duelo desta primeira fase foi o que contou com recorde de público. 57.442 pessoas foram ao Maracanã acompanhar a vitória do Uruguai sobre o Chile. O duelo superou a estreia da Copa América, quando 46.342 pessoas viram o Brasil bater a Bolívia no Morumbi. Além disso, a goleada brasileira sobre o Peru, que contou com um público de 41.390 na Arena Corinthians, ficou em terceiro lugar desse ranking.

OS PIORES

Por outro lado, os piores públicos deixaram diversas cadeiras nos estádios que sediam o torneio. Vale destacar que Equador e Venezuela estiveram nos piores públicos.


Apesar um jogo teve menos de 10 mil pessoas. Equador 1 x 1 Japão contou com 9.729 pessoas no Mineirão. O estádio de Belo Horizonte ficou com o terceiro pior público: Venezuela 3×1 Bolívia teve 13.611 pessoas.

Em segundo lugar, Venezuela 0 x 0 Peru teve 11.107 pessoas na Arena do Grêmio.

LUCRO

Em contrapartida, a renda vai sendo bem alta para a Conmebol. São R$ 103.731.505,00 faturados, média de R$ 5.762.861,00 por duelo.

CLASSIFICAÇÃO

Se houvesse uma classificação geral da fase de grupos, o Brasil teria ficado em segundo lugar pelos sete pontos conquistados.

Só a Colômbia, com dois pontos a mais – e 100% de aproveitamento – superou os anfitriões. O Uruguai também ficou com sete pontos, mas perde para a seleção canarinho no saldo de gols: 8 contra 5.

Em seguida, aparecem Chile (5 pontos), Venezuela (4, saldo de +2) e Argentina (4 com saldo zerado). Peru (3) e Paraguai (2) fecham os classificados para as quartas de final (veja abaixo os confrontos).

Japão e Catar, com um ponto cada, Equador e Bolívia, sem nenhum ponto, se despediram da Copa América.

CONFRONTOS

Assim ficaram definidos os duelos das quartas de final:

  • Brasil x Paraguai – quinta-feira (27), às 21h30, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.
  • Venezuela x Argentina – sexta-feira (28), às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro.
  • Colômbia x Chile – sexta-feira (28), às 20h, na Arena Corinthians, em São Paulo.
  • Uruguai x Peru – sábado (29), às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

ARTILHEIROS

Nove jogadores marcaram dois gols nas três primeiras partidas.

Pelo Brasil, Everton e Phillipe Coutinho foram os goleadores.

Na Colômbia, apenas o atacante Duván Zapata marcou duas vezes.

Já no Uruguai, os dois centroavantes do time não decepcionaram. Luis Suárez e Edison Cavani também mostraram poder de fogo.

A dupla ofensiva do Chile também deu certo, com Eduardo Vargas e Alexis Sánchez marcando gols.

Por fim, Darwin Machís, do Equador, e Koji Miyoshi, do Japão, também balançaram as redes em duas ocasiões.

Everton artilheiro
Mesmo tendo começado a Copa América como reserva, Everton é um dos artilheiros do torneio. Foto: Lucas Figueiredo / CBF

No número de assistências, o chileno Charles Aránguiz deu três passes para gol. Ele é perseguido pelo brasileiro Roberto Firmino, pelo colombiano James Rodríguez e pelo paraguaio Miguel Almirón, que têm duas assistências cada.

Post anteriorPróximo post