Corintiano que ameaçou juíza esteve preso em Oruro

Os sete corintianos acusados de ameaçarem e ofender a juíza Marcela Karam, responsável pela prisão de 31 torcedores envo..

Redação - 09 de novembro de 2016, 22:59

Os sete corintianos acusados de ameaçarem e ofender a juíza Marcela Karam, responsável pela prisão de 31 torcedores envolvidos nas brigas contra torcedores do Flamengo, dia 23 de agosto, foram levados para a Cidade da Polícia e posteriormente encaminhados para uma penitenciária local, no Rio de Janeiro, onde ficarão por tempo indeterminado. Segundo a delegada Daniela Terra, as ameaças são passíveis de punição. "Logo depois da juíza ter feito seu trabalho eles começaram a publicar nas páginas das redes sociais ameaças, inclusive invadiram a página dela e postaram foto dela com o marido e filho, o que configurou o crime", disse.

Um dos envolvidos é Cleo Barros, torcedor que chegou a ser detido em Oruro, na Bolívia, após a morte do garoto Kevin Spada, durante partida da Copa Libertadores.

O motivo pelos quais os corintianos reagiram por meio da rede foi o fato de a Justiça do Rio de Janeiro manter a prisão preventiva e aceitar a denúncia do Ministério Público contra os 30 torcedores do Corinthians, detidos após agredirem policiais militares que faziam a segurança no Estádio do Maracanã. Outro, menor de idade, está apreendido em local específico.