Corintianos pedem impeachment de presidente e vice é investigado na Lava Jato

Redação


O Conselho Deliberativo do Corinthians deve analisar nos próximos dias, a situação do presidente do clube, Roberto de Andrade, que está bem complicada. Um grupo de 63 conselheiros entregou nesta terça-feira (22) um pedido de impeachment de Andrade pra que nos próximos meses ele seja destituído do cargo. O processo, que deve durar aproximadamente dois meses, tem como base supostas assinaturas de Andrade em contratos com a Arena.

Segundo reportagem da revista Época, o presidente teria avalizado contratos retroativos à sua eleição, o que configuraria uma fraude. Na primeira denúncia da revista,  Andrade rubricou uma lista de presença de assembleia geral ocorrida dois dias antes de ser eleito e em outra denúncia seu nome surgiu em meio a um contrato de estacionamento da arena com a Omni, porém 27 dias antes de sua eleição.

Caso Roberto de Andrade, que ainda não se pronunciou, seja deposto, o vice-presidente, André Luiz de Oliveira, o André Negão assumiria e convocaria novas eleições. O problema maior, porém, é que André Negão vem sendo investigado na Operação Lava Jato por ter supostamente recebido R$ 500 mil em propinas durante a construção da arena corintiana.

Previous ArticleNext Article