Coritiba explica empréstimos de empresários após vazamento de contrato

A diretoria do Coritiba divulgou nesta quarta-feira (19) uma nota explicando empréstimos feitos à torcida. Apesar do con..

Redação - 20 de maio de 2021, 07:30

(DIvulgação/Coritiba)
(DIvulgação/Coritiba)

A diretoria do Coritiba divulgou nesta quarta-feira (19) uma nota explicando empréstimos feitos à torcida. Apesar do contrato ser confidencial, o acordo foi divulgado publicamente e foi circulado nas redes sociais, o que pode resultar em medidas legais por parte do clube.

Segundo o Alviverde, o contrato teve objetivo de garantir o caixa emergencial do clube. Um acordo entre o Coxa e a M4 Holding de Participações S.A, empresa do diretor Juarez Moraes e Silva, firmou o empréstimo de R$ 2 milhões.

O valor será pago em até 24 parcelas de R$ 94.146, 94, sem juros, até setembro. Caso isso não aconteça, serão acrescentados juros de 1% ou 1,5% ao mês sobre o saldo devedor. Além disso, a garantia do empréstimo inclui a receita de sócios alviverdes.

Além de Juarez Moraes e Silva, o Coritiba também fez empréstimos com outros diretores: Geninho Tome, Joel Malucelli e Marcelo Almeida.

Eliminado do Campeonato Paranaense na primeira fase, o time alviverde se prepara para a estreia na Série B contra o Avaí. A partida está marcada para o dia 28 deste mês (sexta-feira), às 21h30, no Couto Pereira.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA DIRETORIA DO CORITIBA

Com relação à notícia sobre o contrato entre o Coritiba Foot Ball Club e a M4 Holding de Participações S.A. para empréstimo de R$ 2 milhões (dois milhões de reais), a diretoria informa:

- o contrato foi firmado entre as partes, é legítimo e confidencial. Logo, o vazamento do documento é criminoso e as medidas legais já estão sendo tomadas;

- a operação teve como objetivo garantir caixa emergencial ao clube, sem precisar recorrer a juros de mercado;

- a dívida será paga em até 24 parcelas de R$ 94.146, 94 sem juros até setembro e, depois, se houver saldo a pagar com juros de 1% ou 1,5% (dependendo da inflação medida pela SELIC) ao mês sobre eventual saldo devedor.

- a primeira parcela venceu em 25/04/2021 e a garantia ao empréstimo são os recebíveis do clube gerados pelo plano sócio torcedor.

- em janeiro deste ano, uma outra operação foi realizada, usando empréstimos de quatro diretores: Marcelo Almeida, Joel Malucelli, Geninho Tome e Juarez Moraes e Silva. Cada um emprestou ao clube R$ 1 milhão (um milhão de reais). A dívida já foi paga sem incidência de juros.