Coritiba: presidente defende trabalho de Morínigo e fala de reforços

O mandatário coxa-branca espera pela permanência do treinador paraguaio pelo menos até o final da temporada, quando termina o atual contrato

Pedro Melo - 19 de julho de 2022, 12:09

(Reprodução/TV Coxa)
(Reprodução/TV Coxa)

O presidente do Coritiba, Juarez Moraes e Silva, garantiu a permanência do técnico Gustavo Morínigo e defendeu o trabalho de toda a comissão técnica. Em entrevista coletiva, que contou também com as presenças dos vices Osíris Klamas e Glenn Stenger, o mandatário coxa-branca espera pela permanência do treinador paraguaio pelo menos até o final da temporada, quando termina o atual contrato.

"O Coritiba tem oscilado por vários fatores, mas temos a convicção que a comissão técnica vem fazendo um excelente trabalho até por todos os contextos que coloquei. Nós, dentro do planejamento, contratamos um técnico para ficar aqui até dezembro de 2022 e a pretensão nossa é que ele continue até o final, sabendo que a pressão é muito grande. Sabemos que é difícil um treinador aguentar três, quatro derrotas. A convicção é de que a comissão técnica é competente", afirmou o presidente.

O mandatário alviverde também descartou qualquer problema de relacionamento entre elenco e comissão técnica. "Não tem desgaste do elenco com a comissão técnica, passamos ontem [segunda-feira] a tarde inteira no CT e ficamos discutindo o momento e digamos que fechando um pacto. A nossa história mostra que tem que entrar lutando", disse.

CORITIBA VAI TRAZER REFORÇOS PARA A SEQUÊNCIA DO BRASILEIRÃO

Com a reabertura da janela de transferências, o Coritiba pretende reforçar o elenco para se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A primeira contratação foi o goleiro Gabriel Vasconcellos, revelado pelo Cruzeiro e com longa passagem pelo futebol italiano.

"Nós precisamos de reforços. Perdemos o Andrey, o melhor jogador da posição no campeonato até o momento que se contundiu, e tem feito falta pelo perfil. Nós pretendemos suprir essa ausência, entre outra. O goleiro, que substitui o Wilson, chega para agregar e não para ser reserva. Estamos trazendo um goleiro campeão da Série B italiana, [vice] campeão olímpico e deve estrear nas próximas rodadas", explicou Moraes e Silva.

No entanto, o vice-presidente Glenn Stenger alertou sobre a atual situação financeira que dificulta a chegada de reforços mais caros. "Não há hoje a possibilidade financeiramente de abrir os cofres, a massificação de contratações, e precisamos ser o mais assertivo possível. Financeiramente, o Coritiba só estará em patamar diferente em pouco menos de dez anos", destacou.

"Os mesmos torcedores que cobraram contratações, não entendem que estamos fechando dois acordos com o Banco Central da década de 2000 que somam R$ 15 milhões. Esse valor nos proporciona o desagrado que termos penhora ainda. Não dá para o torcedor em 2022 entender que o futebol não é do mesmo jeito de antigamente. Se a gente pensar assim no Coritiba, estamos entregando o futuro ao nada", ressaltou o dirigente.

Já Osíris Klamas complementou da dificuldade de contratar jogadores no mercado nacional e falou que existe a chance de saídas no elenco. "Estamos fazendo uma reformulação do orçamento para atacar melhor o mercado. O mercado nacional, as opções não são muitas, principalmente nas posições mais carentes, como o meio-campo. Ainda tem a possibilidade de jogadores saírem por questão de negócios, e vamos precisar complementar o elenco", afirmou.