Em reencontro com Ceni, Cruzeiro empata com Fortaleza e segue no Z4

Folhapress

cruzeiro

No reencontro de Rogério Ceni com o Cruzeiro na noite deste sábado (26), no Mineirão, a igualdade prevaleceu. O Cruzeiro abriu o placar aos 34 minutos do segundo tempo com Orejuela, após assistência de Marquinhos Gabriel. Porém, o Fortaleza empatou três minutos depois Wellington Paulista aproveitou cruzamento e completou pro fundo da rede para empatar o jogo.

A igualdade no placar não ajuda nenhuma das equipes. O Cruzeiro continua dentro da zona de rebaixamento, na 17ª posição, com 29 pontos e o Fortaleza, na 14ª colocação, mantém a distância de três pontos para a zona da degola.

Na próxima quinta-feira (31), pela 29ª rodada do Brasileirão, o Cruzeiro visita o Botafogo no estádio Nilton Santos, às 21h30 (de Brasília). Já o Fortaleza viaja a Florianópolis, para enfrentar o Avaí, na Ressacada, na quarta-feira, às 19h30.

O Cruzeiro foi melhor durante praticamente todo o jogo, mas apresentou um falso domínio ao longo do primeiro tempo. Apesar de ter mais a bola e de se aproximar mais da meta rival, o time da casa pecou muito nas tomadas de decisões. Pela esquerda, Egídio errou muitos cruzamentos, um dos motivos para a bola mal ter chegado ao atacante Fred. Além disso, jogadores do setor ofensivo finalizaram pouco e mal nas oportunidades que conseguiram criar.

Questionado pela torcida, David foi quem mais tentou, mas seguiu cometendo erros recorrentes. Como o Fortaleza pouco ameaçava, o sistema defensivo celeste não teve tanto trabalho, mas vacilou em lances importantes e errou passes bobos dos seus zagueiros e volantes.

O cenário não mudou na etapa final e o Cruzeiro seguiu mais presente no campo de ataque. Sem ser atacado, o principal obstáculo passou a ser a tranquilidade para abrir o marcador. Depois de carimbar a trave com Marquinhos Gabriel, a equipe viu Orejuela premiar sua ótima atuação com o gol que daria alívio aos torcedores. Mas a vitória acabou não vindo porque o time voltou a dar bobeira lá atrás. Desta vez, o vacilo aconteceu no único ataque importante do Fortaleza, o suficiente para sair o gol de empate de Wellington Paulista.

O técnico Rogério Ceni armou sua equipe um pouco mais recuada que o normal. A ideia do treinador era explorar os contra-ataques a partir dos erros do adversário e abusar da velocidade de seus atacantes pelo lado do campo.

Previous ArticleNext Article