Cancelado maior festival de arrancada da América Latina

Francielly Azevedo


Foi cancelado o Festival Força Livre de Arrancada, maior e mais tradicional da América Latina.  A 24ª edição do evento que seria realizada entre esta quinta-feira (7) e o domingo (10), esperava a presença de mais de 40 mil pessoas, mas foi desmarcada por problemas com o Autódromo Internacional de Curitiba.

Segundo a diretoria da Força Livre, organizadora do evento, o contrato foi cancelado e uma nova locação custaria três vezes mais do que o acordado: “Para nossa surpresa, recebemos e-mail do novo administrador com a notícia que nosso contrato estaria cancelado e que valeria para a realização do festival a nova tabela de valores de locação do autódromo. Fato este que inviabiliza financeiramente a realização do evento”, diz a nota.

Ainda segundo a nota, não houve negociação.

“Todas as tentativas foram rejeitadas pelo autódromo, não nos restando outra forma, o cancelamento do evento se faz necessário mediante o quadro de impossibilidade de realização do mesmo em função destas mudanças repentinas que estão sendo impostas”.

A competição teria a presença de mais de 200 pilotos do Brasil e de outros países. Os participantes serão divididos em 21 categorias, de acordo com o tipo de preparação de cada carro.

As categorias que mais empolgam o público é a Dragster Top Alcohol e Dragster Light que reúne carros capazes de ultrapassar a velocidade de 300km/h em pouco mais de 5 segundos. Outras categorias que chamam a atenção do público são aquelas que contam com carros parecidos com carros de rua, porém preparados para a arrancada, como a Pro Mod e a Turbo Traseira que tem carros clássicos nacionais com tração traseira, como o Chevrolet Opala e também o Chevette que recebem preparações pesadas para alcançar os 1500 cavalos de potência.

Autódromo nega reajuste da locação

Em nota divulgada pelas redes sociais, o Autódromo Internacional de Curitiba negou que tenha apresentado “nova tabela” de valores.

“Em nenhum momento foi apresentada nova tabela de valores que triplicaria o valor da locação, apenas não foi concedido desconto de 70% solicitado.

Também não houve tentativa de negociação por parte da Força Livre, apenas tentaram impor uma proposta totalmente fora da realidade, tentando pressionar o AIC a acatar os valores, citando que caso não fosse aceite, seria cancelado o evento, diz a nota”

 

Capturar

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.