Curitiba Vôlei usará estrutura e profissionais da Universidade Positivo

Redação


O Curitiba Vôlei está de casa nova. A Universidade Positivo (UP) será a sede da equipe campeã da Superliga B feminina. A negociação faz parte do contrato de patrocínio da universidade curitibana com a equipe, que passa a ter um dos Centros de Treinamento mais completos da categoria para disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino – Super Liga A.

De acordo com o reitor da UP, José Pio Martins, a instituição se inspirou nos modelos norte-americanos de incentivo ao esporte. “Os dois lados saem ganhando com essa parceria – o time, pela completa infraestrutura disponível e o incentivo à educação; e a universidade, por levar o espírito esportivo e o entretenimento para dentro do câmpus, além de oportunizar aos acadêmicos aplicarem seus conhecimentos teóricos numa equipe de alto rendimento”, argumenta.

O patrocínio envolve a utilização de toda a infraestrutura e serviços da UP, como ginásio, academia, piscinas, gramado, salas de aula, auditórios, clínicas de odontologia, fisiologia, nutrição, fisioterapia, psicologia, além da preparação física com docentes e discentes do curso de Educação Física da universidade. “Todos os cursos de Graduação e Pós-Graduação poderão desenvolver projetos práticos, com o objetivo de aplicar a teoria que os estudantes aprenderam em sala de aula e disponibilizar todo esse conhecimento a favor do time”, acrescenta Pio Martins.

Como se não bastasse, todas as atletas e comissão técnica ganharam bolsas de estudo para cursos de Graduação e Pós-Graduação e também do Centro de Línguas da UP. Até agora, 16 profissionais já estão matriculados e começam a estudar ainda neste ano.

 

Superliga

Depois de 15 anos, a cidade de Curitiba volta a receber os jogos da principal divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino. O Curitiba Vôlei é, atualmente, o único representante do Paraná na elite do esporte nacional. “Com trajetória em ascensão, o time anuncia com orgulho o patrocinador que deve inaugurar uma nova fase não apenas para o vôlei paranaense, mas para o esporte de alto rendimento no Brasil”, declara Gisele Miró, fundadora do time.

O campeonato é composto por uma fase classificatória em pontos corridos, turno e returno, quartas-de-final definidas em série melhor-de-três, semifinais em melhor-de-cinco e final em jogo único. A primeira fase da Superliga 2018/2019 tem início em novembro deste ano. O Curitiba Vôlei terá 11 jogos em casa e outros 11 na casa dos adversários: Dentil Praia Clube (MG), Sesc-RJ, Minas Tênis Clube (MG), Osasco/Audax (SP), Hinode Barueri (SP), Fluminense (RJ), E.C. Pinheiros (SP), Sesi Vôlei Bauru (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e BRB/Brasília Vôlei (DF) e o Vôlei Balneário Camboriú (SC). O campeonato é televisionado pela SporTV.

Segundo Gisele, o principal objetivo da equipe é  ficar entre as 10 melhores na primeira fase e ir para o segundo turno – “mas, acima do resultado, queremos resgatar a paixão do curitibano pelo vôlei, esporte que teve seus tempos áureos na cidade”, lembra. A modalidade virou febre na capital paranaense entre 1997 e 2004, quando o Rexona contagiou o público e levou os títulos nacionais de 1997/98 e 2000/01.

 

Equipe

O Curitiba Vôlei surgiu em agosto de 2016 e, desde então é apadrinhado por Giba, considerado um dos maiores jogadores da história do vôlei, e por Gisele Miró, ex-tenista. Desde o início, o projeto está sob o comando técnico de Clésio Prado e a liderança dentro de quadra da experiente Valeskinha, campeã olímpica em Pequim (2008), com a Seleção Brasileira – e que jogou na equipe do Rexona, nos tempos de ouro do Ginásio do Tarumã. Além disso, a assistente técnica continua sendo Tatiana Ribas, que trabalhou durante muito tempo com Bernardinho.

Do elenco campeão da Superliga B, também continuam no time a líbero Ana Eliza Caetano de Camargo (Aninha), a oposta Aline Aparecida Siqueira (Wime), e a central Vivi Góes. “Temos uma equipe que mescla a experiência e a juventude. Um time que se fortalece dia após dia”, ressalta Clésio Prado, o primeiro parceiro de Emanuel no vôlei de praia. Há pouco mais de 30 dias treinando para a Superliga, a equipe está composta atualmente por 14 atletas, mas o técnico adianta que ainda está atrás de reforços. “Pretendemos iniciar a temporada com entre 16 e 18 atletas no elenco”, esclarece Prado. A equipe completa será apresentada oficialmente no dia 13 de setembro, na Universidade Positivo, pelo padrinho Giba.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="549148" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]