Daiene, Etiene e Felipe Lima conquistam bronzes, e Brasil termina mundial no top-10

Redação


Daiene Dias, Felipe Lima e Etiene Medeiros colocaram o Brasil no pódio neste domingo (15), último dia de Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, que é realizado em Hangzhou, na China. O trio conquistou medalhas de bronze nos 100m borboleta, 50m peito e 50m livre, respectivamente. As medalhas de Etiene e Daiene foram as primeiras na história da Natação feminina em Mundiais em provas olímpicas. Com as conquistas deste último dia de torneio, o Brasil encerrou sua participação na competição na 9ª colocação no quadro de medalhas com dois ouros e seis bronzes.

Etiene Medeiros chegou à final dos 50m livre querendo deixar para trás os 50m e os 100m costas nos primeiros dias de competição. Com o terceiro melhor tempo da semifinal – que, inclusive, foi recorde sul-americano – de 23s82, a pernambucana caiu na água e não só baixou sua marca para 23s76, como conquistou mais uma medalha de bronze para o Brasil.

“Foi uma competição muito complicada, cheia de altos e baixos, então estou feliz de conseguir finalizá-la dessa forma. Foi uma prova difícil. Quando cheguei e vi o que tinha acontecido, quase não acreditei. Estou muito feliz”, falou a medalhista.

Nos 100m borboleta, Daiene Dias, que, assim como Etiene Medeiros, quebrou o recorde sul-americano da prova no último sábado – 56s40 – chegou a liderar a prova nos primeiros 50m, mas viu as americanas Kelsi Dahila e Kendyl Stewart tomarem a ponta. A brasileira, porém, não desistiu e manteve seu ritmo forte para garantir mais uma medalha para o Brasiil com o tempo de 56s31.

“Com certeza foi uma surpresa. Vim para cá querendo estar em uma final, mas, quando se tem uma raia, se tem uma chance. Fui atrás da minha e consegui. É uma grande vitória para a Natação feminina do Brasil”, falou Daiene.

Apenas com o oitavo tempo das eliminatórias, Felipe Lima melhorou seu desempenho para conquistar uma medalha no Mundial. Dos 26s01 da semifinal, o atleta da seleção brasileira nadou para 25s80 e garantiu mais uma medalha de bronze para o Brasil. João Gomes Júnior, também na final, obteve o sexto lugar, com o tempo de 26s02.

“Ontem, o meu objetivo era conseguir entrar na final e deu certo na raia 8, quase fiquei fora. Hoje vim para dar meu máximo e obtive minha melhor marca da vida. Estou muito feliz por conseguir essa medalha individual”, falou Lima.

O revezamento 4x100m medley garantiu uma vaga na final com o segundo melhor tempo das eliminatórias (3m26s86). Do time inicial, formado por: Guilherme Guido, Diego Prado, Nicholas Santos e Breno Correia, apenas Prado foi substituído. Ele deu lugar a Felipe Lima. Na disputa por medalha, o Brasil terminou na quarta colocação com o tempo de 3m22s00.

* Da CBDA

Previous ArticleNext Article