Diego Ribas brilha e leva o Flamengo à final do Mundial

Vinicius Cordeiro

flamengo mundial al hilal diego final

Diego foi o nome do Flamengo na decisão da Libertadores e também na vitória sobre o Al Hilal, que garantiu o clube na final do Mundial de Clubes. O atacante Bruno Henrique acabou sendo eleito o craque do jogo, mas o camisa 10 foi peça-chave na construção das jogadas.

Primeiro, o meia deu ótimo passe para Rafinha avançar e cruzar para Bruno Henrique cabecear às redes. Depois, acionou o camisa 27, que se livrou da marcação e cruzou para Al-Bulayhi, contra, definir o placar.

O detalhe é que ele saiu do banco de reservas aos 28 minutos do segundo tempo, entrando no lugar do apagado Gerson.

“Lógico que todos nós queremos jogar 90 minutos, mas somos uma equipe e temos que fazer o melhor que pudemos enquanto estamos em campo. Fico feliz de ter contribuído mais uma vez e agora vamos com tudo pra final”, disse Diego, em entrevista à Rede Globo.

“Estou muito feliz com esse momento. O jogo está a 120km/h e você tem que entrar no mesmo ritmo. Algo você tem que fazer diferente e tem que preparar bem”, completou o meia.

FLA NA FINAL DO MUNDIAL

O Flamengo agora espera o duelo entre Liverpool e Monterrey, marcado para essa quarta-feira (18), às 14h30, para saber quem será seu adversário na final.

A decisão está marcada para o próximo sábado (21), às 14h30, no estádio Khalifa Internacional, em Doha, no Catar. Antes, às 11h30, o Al Hilal e o perdedor entre ingleses e mexicanos fazem a disputa do terceiro lugar.

Ou seja, Rubro-Negro terá mais dois dias de treinamentos antes do jogo que pode selar o bicampeonato mundial. Vale lembrar que o Urubu, comandado por Zico, ergueu a taça do torneio em 1981 após bater o próprio Liverpool por 3 a 0.

FLAMENGO ENTRE OS MAIORES FINALISTAS DE MUNDIAIS

Por fim, o Fla chega entre os seis clubes brasileiros que mais chegaram em finais de Mundial – chamado de Interclubes até 2000.

O time carioca tem duas decisões na história, assim como Corinthians (2000 e 2012), Cruzeiro (1976 e 1997) e Vasco (1998 e 2000). Já Grêmio (1983, 1995 e 2017), Santos (1962, 1963 e 2011) e São Paulo (1992, 1993 e 2005) somam três cada um, enquanto Internacional (2006) e Palmeiras (1999) têm uma final cada.

Previous ArticleNext Article