Em jogo dos desesperados, Paraná Clube recebe o Ceará e reencontra Lisca

Francielly Azevedo


O Paraná Clube recebe o Ceará, neste domingo (5), às 16h (de Brasília), na Vila Capanema, em um duelo dos “desesperados”. As duas equipes são as últimas colocadas na tabela, ocupando a vice-lanterna e lanterna da competição, respectivamente.

O tricolor tem 13 pontos, na 19ª posição. Já o Ceará é o último, com 11 pontos. Se perder, a equipe paranista afunda ainda mais na tabela. Mesmo se vencer, o Paraná não deixa a zona de rebaixamento, já que o Bahia, primeiro fora da ZR, tem 17 pontos. No entanto, o placar positivo é fundamental, se a equipe de Rogério Micale quiser continuar sonhando com a saída da área da degola.

Após ser derrotado por 3 a 0 pelo Palmeiras, o treinador admitiu que pode promover mudança na meta tricolor. Com isso, Thiago Rodrigues deixaria o posto e Richard voltaria a atuar.

Na lateral-direita, Micale tem Júnior como dúvida. O atleta sofreu uma torção no tornozelo. Quem também sofreu uma lesão no tornozelo e não deve atuar é o zagueiro Cléber Reis. Dessa maneira, a dupla de zaga deve ser formada por Renê Santos e Rayan. Ainda no setor defensivo, existe a possibilidade de Mansur dar lugar a Igor na lateral-esquerda.

O ataque também sofre com dúvidas. Com uma lesão muscular, Carlos não deve entrar em campo. Com isso, Rafael Grampola, anunciado esta semana e regularizado no BID, pode estrear com a camisa paranista.

O provável tricolor tem Thiago Rodrigues (Richard); Júnior; René Santos, Rayan e Mansur (Igor); Leandro Vilela, Caio Henrique e Nadson (Alex Santana); Silvinho, Rodolfo e Rafael Grampola (Iacovelli)

O duelo será comandado pelo árbitro Grazianni Maciel Rocha, auxiliado por Joao Luiz Coelho de Albuquerque e Thiago Henrique Neto Correa Farinha. Ambos do Rio de Janeiro.

REENCONTRO

O confronto também tem outro detalhe. Será o primeiro reencontro do clube paranista com o técnico Lisca, após a saída turbulenta do treinador no ano passado.

Lisca Doido, como é conhecido, comanda o Ceará e sempre deixou claro a mágoa contra o Paraná, depois da demissão em um hotel em Belo Horizonte, na véspera da partida contra o Atlético-MG pela Primeira Liga.

Lisca teria brigado com o auxiliar-técnico Matheus Costa, que depois assumiu o time até o acesso. Os dois teriam discutido feio e trocado empurrões.

Lisca nunca falou de maneira oficial sobre o que aconteceu naquele dia, mas nega as agressões.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.