Eriksen não teve Covid, nem foi vacinado, diz diretor da Inter de Milão

O diretor da Inter de Milão Giuseppe Marotta desmentiu que o meio-campista da Dinamarca e de seu clube, Christian Erikse..

Folhapress - 13 de junho de 2021, 17:12

(Divulgação/Inter de Milão)
(Divulgação/Inter de Milão)

O diretor da Inter de Milão Giuseppe Marotta desmentiu que o meio-campista da Dinamarca e de seu clube, Christian Eriksen, tenha contraído Covid-19 no passado e também disse que ele nunca apresentou sinais de problemas de saúde.

O jogador de 29 anos teve uma parada cardíaca no sábado (12), aos 42 minutos da primeira etapa da partida da Eurocopa contra a Finlândia, e teve sua vida salva graças à reanimação ainda no gramado.

"Ele não teve Covid nem foi vacinado", afirmou Marotta ao Rai Sport.

Após sua queda em campo, a equipe médica precisou usar um desfribilador para reanimar o atleta. "Ele se foi. Fizemos ressuscitação cardíaca, foi uma parada cardíaca. Quão perto estávamos? Não sei. Nós o trouxemos de volta depois de uma desfibrilação", disse Morten Boesen, médico da Dinamarca, em entrevista coletiva, acrescentando que Eriksen permanece no hospital para mais exames.

"Os exames que foram feitos até agora parecem bons", acrescentou Boesen. "Não temos uma explicação de por que isso aconteceu."

Esse agora parece ser o ponto central da investigação clínica sobre o jogador. Médicos da Inter e também de seus clubes anteriores disseram nunca ter notado nada que pudesse apontar para problemas cardíacos.

"Nunca houve um episódio que remotamente indicasse um problema '? Mas eu vi todos os seus exames e tudo pareceu perfeito", afirmou.

O técnico da Dinamarca, Kasper Hjulmand, afirmou que Eriksen contou a ele que não se lembrava muito do episódio e que estava ansioso para voltar a jogar.

"Ele gostaria que continuássemos a jogar", disse Hjulmand. "Ele disse que sente que poderia sair e jogar novamente. Christian se sente melhor quando tem uma bola de futebol perto de seus pés."

"Christian está num bom estado de espírito e é um grande alívio para os jogadores depois de toda essa incerteza", continuou. "Não há dúvida de que estivemos nas cordas."