Ex-presidente do Coritiba pede a renúncia de Samir Namur

Redação

Após não conseguir retornar para a Série A do Campeonato Brasileiro, o Coritiba junta os cacos para tentar recomeçar e pensar no futuro.  A goleada para o São Bento, por 5 a 2, na última terça-feira (6) foi a chamada “gota d’água”. Diante de tudo isso, a insatisfação com a recém-empossada diretoria alviverde tem tomado conta de torcedores e até ex-dirigentes. Nesta quinta-feira (8), o ex-presidente do Coxa, João Jacob Mehl, fez uma carta aberta em que pede a renúncia do atual presidente Samir Namur.

“Os grandes homens, sempre souberam dar um passo atrás, reconhecer seus erros e respeitar a opinião da maioria”, aconselhou Mehl.

Ontem, o G5 do Coxa se reuniu para debater o momento do clube e decidiu pela saída do diretor de futebol Paulo Pelaipe. A diretoria estaria sondando Rodrigo Pastana, responsável pelo acesso do Paraná Clube no ano passado.

Um dos grandes pontos do alviverde é o setor financeiro. No ano que vem, a diretoria terá que trabalhar com uma verba de aproximadamente R$ 46 milhões. O valor pode até fazer com que a equipe perca ídolos da torcida e peças importantes como o goleiro Wilson.


Samir foi eleito no dia 9 de dezembro do ano passado para o triênio 2018-2020 com 1.070 votos. Ele concorreu com João Carlos Vialle e Pedro de Castro, que receberam 908 e 857 votos, respectivamente. Além de 19 votos brancos e nulos.

CONFIRA A CARTA NA ÍNTEGRA:

“CARTA ABERTA ENDEREÇADA AO PRESIDENTE SAMIR

Meu Caro Samir e Conselheiros. A algum tempo, meu nome, como igualmente de outros experientes ex-presidentes, vimos sendo citados e até intimados a nós posicionamos referente ao momento que vive o nosso Coritiba FC. Diante disto, faço está manifestação, com tristeza, pois gostaria de estar tão somente na arquibancada, vibrando com nossas vitórias.

Samir Namur, lembro perfeitamente a última reunião do CD que você comandou. Sabendo de sua pretensão de candidatar-se a presidência do Clube. Fiz uma manifestação alta e forte, dizendo que o Coritiba não poderia ser novamente cobaia de dirigente inexperiente. Um centenário Clube, com tanta bagagem em seus quadros, não poderia ficar a mercê de curiosos. Já tínhamos exemplos anteriores, é me assustaram as informações de sua incompetência. Mas vieram as eleições e a MINORIA acabou lhe elegendo.

Samir você teve muita sorte. Pois se o goleiro Wilson tivesse cobrado os inúmeros pênaltis perdidos ano passado não teríamos também caído com o novato Bacellar. E você por sua capacidade certamente estaria hoje nós castigando com o fracasso de um rebaixamento. Provavelmente você não saiba o que é amor próprio, moral, dignidade, respeito e vergonha na cara. Na única derrota em casa no ano de 1999, milhares de torcedores pediram a minha saída, no mesmo momento deixei a presidência e fui para casa. Naquela noite, dezenas de Diretores e Conselheiros em minha residência me convenceram a continuar, e não perdemos mais nenhuma partida no ano. Mas eu tinha vergonha na cara, tive a dignidade de entregar o cargo, tive o respeito à instituição e meu amor próprio estava ferido.

Faça o mesmo presidente Samir. Faça um teste, pois duvido que alguém vá busca-lo em sua casa. Certo dia, o mais vitorioso presidente que tivemos: o Evangelino, teve a dignidade de renunciar. Fez isto porque amava o Coritiba, foi inteligente pois sabia que não possuía forças para continuar. Faça o mesmo SAMIR, num lapso de lucidez, você poderá evitar um fracasso maior, e a desmoralização total da família coxa branca. O Clube mais vitorioso do Paraná, está perdendo torcedores que são nosso maior patrimônio. Reconheça isto Samir. O fracasso tornou-se habitual em sua gestão. Um ano a frente do nosso antigo GLORIOSO, já foi suficiente para ratificar sua incompetência. Sua capacidade administrativa no futebol, já era de nosso conhecimento. Mas tínhamos esperança, que um bom assessoramento pudesse lhe ilustrar, abrir seus olhos e evitar os mais ridículos erros cometidos neste período.

Espero que não se promova, um eventual equilíbrio financeiro que o balanço possa apresentar, pois o verdadeiro balanço de sua gestão deverá constar as inúmeras rescisões; a astronômica perda de receita e a imensurável desmoralização que o Clube e seus torcedores estão sofrendo. Os grandes homens, sempre souberam dar um passo atrás, reconhecer seus erros. E respeitar a opinião da maioria. João Jacob Mehl.

Aqueles que estiverem de acordo, podem assinar junto”

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook