Exclusivo: Matheus Costa fala sobre acesso do Paraná, Lisca e até Corinthians

Francielly Azevedo


Reportagem: Francielly Azevedo | Imagens e edição: Fernando Garcel

O técnico Matheus Costa vive um momento ímpar na carreira após conquistar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro com o Paraná Clube. O tricolor retornou à primeira divisão após 10 anos disputando a Série B e o comandante viveu boa parte deste sofrimento da torcida das arquibancadas. O Paraná Portal foi até o Ninho da Gralha bater um papo com o treinador que falou, entre outros assuntos, da trajetória até a conquista, do episódio Lisca e comentou algumas semelhanças com Fábio Carille, técnico do Corinthians.

Torcedor paranista, Matheus não esconde a paixão pelo clube que o revelou como treinador profissional. “Eu sempre costumo falar que todo apaixonado por futebol teve um time de infância e eu não escondo qual foi o meu. Mas a partir do momento que decidi levar isso como profissão eu tive que separar a emoção da razão”, destacou.

A trajetória de Matheus é bastante semelhante a do técnico do Corinthians, Fábio Carille (treinador jovem, estreando na função, promovido de auxiliar a técnico e que nunca foi jogador profissional). “Esses profissionais não têm nome, mas têm uma carreira no futebol, que as vezes muitos não conhecem. O Carille teve um histórico muito parecido com o meu, esteve um bom tempo nas categorias de base, foi auxiliar técnico também e nós citamos ele, mas temos também o Jair Ventura, no Botafogo, o Zé Ricardo, que teve uma história no Flamengo e agora tem uma nova oportunidade no Vasco. Eu acredito que é um paradigma que está sendo quebrado, esses profissionais estão mostrando os seus valores, com todo respeito aqueles profissionais que tem um histórico maravilhoso e vitorioso”, analisou Matheus.

Matheus também comentou sobre o episódio com o Lisca antes do duelo com o Atlético-MG na Copa do Brasil. O atual treinador do Paraná teria sido o pivô da discussão com Lisca no hotel em Belo Horizonte. Questionado, o comandante preferiu não descrever o que houve naquele dia, mas disse que levou tudo como aprendizado.

“O futebol é muito complexo então a todo momento você está aprendendo com alguma situação e isso faz com que você tenha mais força para continuar. Ali foi um momento muito conturbado, todo mundo sabe, mas eu procurei sempre dar o meu melhor, me concentrar e focar nos meus objetivos”, afirmou.

Confira a entrevista completa:

[insertmedia id=”mWvEdy8awZE”]

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.