Flamengo usa força máxima, bate o CSA e mantém vantagem para o Palmeiras

Folhapress


Quatro dias depois de golear o Grêmio e ir à final da Libertadores, o Flamengo voltou ao Maracanã na noite deste domingo (27) e venceu mais uma vez. Usando o que de melhor tinha à disposição, o Rubro-Negro bateu o CSA por 1 a 0 em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Arrascaeta fez o gol da vitória que fechou a 28ª rodada e marcou novo recorde de público pagante na competição: 65.649 pessoas.

Com o resultado, o Fla segue em situação confortável no topo do Brasileirão: são 67 pontos, dez a mais que o vice-líder Palmeiras. Já o CSA segue na zona do rebaixamento, com 26 pontos na 18ª colocação.

Na próxima quinta-feira (31), o Rubro-Negro visita o Goiás no Serra Dourada, às 20h (de Brasília). O CSA recebe o Corinthians no Rei Pelé um dia antes, às 21h30.

Dominante, o Flamengo nem precisou insistir muito para abrir o placar. Aos 9, Arrascaeta recebeu passe de Everton Ribeiro, deixou o marcador no chão e finalizou. João Carlos aceitou e a bola morreu no fundo das redes. Aos 22, Gabigol teve duas chances de ampliar. Ele cabeceou e obrigou o goleiro a fazer boa defesa. No rebote, ele controlou a bola, se livrou da zaga e fez novamente o rival trabalhar, com um chute no canto.

O CSA chegou com Apodi, que recebeu em diagonal e finalizou no canto. Diego Alves defendeu. Um minuto depois, a resposta: Gabigol arrancou e bateu cruzado, mas a bola saiu pela linha de fundo. O primeiro tempo seguia agitado e Diego Alves salvou os mandantes do empate. Dawhan recebeu, tirou Thuler e bateu. No susto, o goleiro carioca espalmou. A bola ainda tocou o travessão. O troco veio em dose dupla: Bruno Henrique, de cabeça, e Arrascaeta. Por um detalhe, o chute colocado do camisa 14 não entrou.

Na etapa final, novas chances desperdiçadas pelo Flamengo. Sem chances muito claras e mal no último passe, os cariocas viram o CSA assustar novamente. Aos 34, Warley recebeu cruzamento e chutou forte. Novamente o camisa 1 espalmou e afastou o perigo. Aos 40, Alecsandro se antecipou aos marcadores, cabeceou e passou muito perto de empatar.

PROTESTO CONTRA ÓLEO

Depois de o Bahia protestar contra as manchas de óleo que atingem a região nordeste do país, foi a vez do alagoano CSA fazer a sua manifestação. Para isso, o clube entrou em campo com marcas de mão nas camisas, em alusão a quem limpa o litoral nordestino há quase dois meses.

Previous ArticleNext Article