Furacão elimina o Capiatá e está na Libertadores. Fim do jogo é marcado por racismo

O Atlético Paranaense conseguiu segurar a pressão paraguaia do Capiatá e reverteu o resultado da partida de ida ao bater..

Redação - 23 de fevereiro de 2017, 00:41

O Atlético Paranaense conseguiu segurar a pressão paraguaia do Capiatá e reverteu o resultado da partida de ida ao bater o time paraguaio por 1 a 0 com gol de Lucho González, aos 11 minutos do primeiro tempo. Com o resultado o Rubro-Negro se classificou para a fase de grupos da Copa Libertadores. O Furacão irá enfrentar agora o Universidade Católica (Chile), San Lorenzo (Argentina) e Flamengo.

Precisando vencer para garantir sua classificação o Rubro-Negro começou a partida pressionando o Capiatá e essa pressão deu resultado. Aos 11 minutos, Nikão cobrou escanteio pela esquerda, Paulo André deu um leve desvio de cabeça e Lucho González apareceu na segunda trave para empurrar a bola para o gol.

O Capiatá respondeu em seguida, aos 13, Gamarra recebeu um passe de contra-ataque, avançou com a bola, mas chutou por cima do gol atleticano. Aos 28, os paraguaios voltaram a assustar, mas Weverton voltou a fazer difícil defesa. Na segunda etapa, o Capiatá entrou com dois jogadores de ataque, mas só mostrava força pelo lado direito, e facilitava a marcação atleticana.

O Rubro-Negro aproveitou as brechas deixadas pelos paraguaios e criou três situações seguidas de gols., aos 39, com Nikão, aos 40 com Luiz Henrique e aos 43 minutos com Felipe Gedoz. Depois disso, o time administrou o resultado e voltou para casa com a classificação.

No final do jogo, Otávio avaliou a partida. “Foi uma bonita vitória, na semana passada sofremos um mau resultado e conseguimos chegar à frente com qualidade, tivemos uma boa vitória”.

O atacante Grafite explicou sua lesão, que o tirou de campo. “O clube mereceu pela determinação da equipe, mas vamos agora trabalhar e fazer uma campanha, já a lesão, no treino tive uma torção no treino e hoje não tive condição durante o jogo, preferi deixar alguém com melhor condição de jogar”, disse.

No final da partida o técnico Paulo Autuori se envolveu em uma discussão com torcedores, que chamavam os atletas do Atlético de “macacos”. Questionado, Autuori se limitou a dizer “é papo de racismo”, reclamou.

FICHA TÉCNICA

DEPORTIVO CAPIATÁ X ATLÉTICO

Local: Érico Galeano Segovia, em Capiatá

Árbitros: Nestor Pitana (ARG)

Assistentes: Gustavo Rossi (ARG) e Diogo Bonfa (ARG)

Cartões amarelos: Weverton, González, Lucho González, Pablo, Carlos Alberto, Nikão e Irrazábal

Gol: Lucho González, aos 11 minutos do primeiro tempo

Deportivo Capiatá: Medina; Bonet, Ortigoza, Nestor e Martinéz; Nogueira (Dante López), Ledesma, González (Cristhian López) e Mendieta (Pérez); Irrazábel e Gamarra.Técnico: Diego Gavilán.

Atlético: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Lucho González (Wanderson) e Carlos Alberto (Felipe Gedoz); Nikão, Pablo e Grafite (Luiz Henrique). Técnico: Paulo Autuori