Futebol no Paraná completa 100 dias de paralisação e ainda não tem data de retorno

Vinicius Cordeiro

campeonato paranaense retomada público estadual

O Campeonato Paranaense completou 100 dias desde sua última partida nesta terça-feira (23) e ainda não tem data de retorno durante a pandemia do coronavírus. No dia 15 de março, o último jogo de futebol profissional no Paraná aconteceu: o Coritiba goleou, por 4 a 0, o Athletico Paranaense no Couto Pereira vazio após um recuo da Federação Paranaense de Futebol (FPF), que tinha confirmado a realização dos jogos normalmente.

Na época, seis pessoas tinham a Covid-19 confirmada. No entanto, o alerta da doença no país fez com que os jogos fossem suspensos, assim como aulas em escolas e universidades.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e o secretário de Saúde, Beto Preto, já admitiram que a suspensão das atividades foi prematura. Contudo, a situação crítica que o Paraná vive com a covid-19 hoje deve atrasar ainda mais o retorno do futebol paranaense. Sem data, a única certeza é que a FPF faz questão do término do Estadual.

Porém, o último boletim, são 15.673 casos e 487 mortes. Um estudo da UFPR (Universidade Federal do Paraná) aponta que as regiões Sul e Centro-Oeste são os novos epicentros da doença no país. Ou seja, o cenário não é favorável para o retorno pelo menos até o início de julho.

Em entrevista coletiva na última sexta-feira (19), Beto Preto declarou que ainda não há nenhum indício da Secretaria da Saúde para autorizar a retomada do futebol no Paraná. “Nenhuma orientação para o retorno ao Campeonato”, disse ele.

ATHLETICO, CORITIBA E PARANÁ TREINAM; LONDRINA E RIO BRANCO NÃO

Por causa do ‘decreto da bandeira laranja‘, publicado pela prefeitura de Curitiba, o Athletico Paranaense foi o único clube da capital que suspendeu um dia de treino por ter seu centro de treinamentos (CT) localizado no bairro Umbará. Já que Coritiba e Paraná Clube têm seus complexos na Região Metropolitana, em Pinhais e Quatro Barras, respectivamente, e não sofreram com as medidas municipais. O Coxa e o Tricolor, por sinal, já confirmaram que tiveram funcionários diagnosticados com o vírus, mas não especifcaram

Contudo, o Furacão usou aquele dia para realizar testes para Covid-19 nos atletas, já que a prefeitura recuou e autorizou as atividades em academias e centros esportivos. Depois, o Rubro-Negro ainda disse que teve autorização da administração municipal.

No interior do Paraná, dois dos oito clubes classificados às oitavas de final do Campeonato Paranaense não voltaram às atividades.

O Rio Branco, de Paranaguá, tinha previsto a retomada no último dia 20, mas adiou a data. O Leão da Estradinha não conseguiu laboratório para disponibilizar testes rápidos do Covid-19 para atletas e funcionários e espera ter ajuda financeira por parte da FPF ou da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Já o Londrina se manifestou contra o retorno do futebol enquanto a pandemia não for controlada. O clube do norte do Paraná diz que o retorno é “insensível” e “irresponsável” e que reagiu com tristeza após a autorização da Federação para que as equipes retomassem os treinos presenciais no fim de maio.

Sem datas e sem nenhuma informação oficial, por parte da FPF ou da Sesa, vale lembrar que o Estadual terminou com os quatro confrontos das oitavas de final definidos:

  • Coritiba x Paraná;
  • FC Cascavel x Rio Branco;
  • Athletico x Londrina;
  • Cianorte x Operário.

Previous ArticleNext Article