Gol anulado do Athletico contra o Santos gera nova polêmica sobre uso do VAR

Pedro Melo

Athletico Santos Marcelo de Lima Henrique árbitro VAR Copa do Brasil

O Athletico venceu o Santos por 1 a 0, pelas quartas de final da Copa do Brasil, mas a vantagem no confronto poderia ser maior. O atacante Vinicius Mingotti marcou o que seria o segundo gol e o assistente anulou por o impedimento. O árbitro Marcelo de Lima Henrique ouviu o VAR e reiniciou rapidamente o jogo.

“Poderia ser melhor se o árbitro tivesse validado o gol que nós fizemos. É uma falha imperdoável. Já vi gols no Brasil serem checados de oito a dez minutos e demoraram de 30 a 40 segundos para checar um gol limpo”, lamentou o técnico António Oliveira.

Durante a transmissão do SporTV, o comentarista de arbitragem Sálvio Spinola afirmou que não houve tempo para traçar as linhas. “O lance do gol do Mingotti é ajustável. A assistente anula o gol levantando a bandeira, e esse lance tem que traçar as linhas no VAR. Em quarenta segundos, o VAR confirmou. Não dá tempo para fazer a computação gráfica em quarenta segundos, e não foi fornecido para nós. Logo, prevalece a decisão de campo. Importante saber o porquê de não ter sido feito”, disse.

SANTOS TAMBÉM RECLAMOU DA ARBITRAGEM

O gol do Athletico não foi o único lance polêmico na partida. Minutos antes, a bola bateu no braço de Renato Kayzer dentro da área e Marcelo de Lima Henrique mandou o jogo seguir. O técnico Fernando Diniz reclamou da forma em que o VAR é utilizado no futebol brasileiro.

“O pênalti é pênalti em qualquer lugar, não precisava nem de VAR. Era pênalti antes e depois do Pelé. Era pênalti óbvio. Jogadores do Athletico falaram que era pênalti no banco, tinha gente da Santos TV ali. Era um lance fácil de apitar e o árbitro disse para mim que não foi pênalti. Se isso não foi pênalti, o gramado é azul. Sou a favor do VAR, mas a ferramenta precisa corrigir injustiças, é importante, mas aqui há confusão, falta de critério e erra em cima de coisas fáceis”, criticou Diniz.

Com a vantagem no confronto, o Athletico joga pelo empate para avançar à semifinal da Copa do Brasil. Já o Santos precisa vencer por dois gols de diferença para se classificar no tempo normal. O jogo da volta acontece apenas no dia 14 de setembro, às 21h30, na Vila Belmiro.

AGENDA DO ATHLETICO

  • Palmeiras: 28/08 (sábado), às 21h, no Allianz Parque
  • FC Cascavel: 01/09 (quarta-feira), às 15h20, na Arena da Baixada
  • Sport: 05/09 (domingo), às 18h15, na Arena da Baixada
Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="785868" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]