Grêmio arrasa Brasil de Pelotas e fica perto do título gaúcho

Folhapress


O Grêmio está com a mão na taça do Campeonato Gaúcho 2018. Neste domingo (1), o time tricolor fez 4 a 0 no Brasil de Pelotas no jogo de ida da final do Estadual. O resultado foi reflexo de um jogo com domínio total, mas que também teve a expulsão de Éder Sciola, do Brasil, no final do primeiro tempo. Com um a menos, a equipe xavante não conseguiu fazer frente ao campeão da Libertadores. Assim, o time treinado por Renato Gaúcho ficou perto de encerrar jejum de quase oito anos.
Everton, duas vezes, Alisson e Ramiro marcaram para o Grêmio. Na segunda partida da final, no próximo domingo, em Pelotas, o Grêmio pode até perder por três gols de diferença que fica com o título. A reconquista do Gauchão se tornou obsessão para o Tricolor depois das taças da Copa do Brasil, Libertadores e Recopa Sul-Americana.
O Grêmio esperava um jogo fechado e, por isso, começou sendo ultraofensivo. Com o time bem adiantado, o Tricolor trocou passes e até conseguiu entrar na área do Brasil de Pelotas. Mas o volume todo, que chegou a bater na casa de 85% da posse de bola, não virou gol. A pontaria descalibrada ainda deu brecha para os visitantes puxarem contra-ataques.
A resistência do Brasil-RS não tirou o Grêmio do prumo. Até o intervalo foi o dono da casa quem chegou mais perto de abrir o placar. Com calma e resistindo até as faltas mais duras. Sem reagir na mesma moeda, o Tricolor ainda viu o rival ter baixa decisiva.
No final do primeiro tempo, Éder Sciola foi expulso e gerou polêmica. O lateral direito subiu para disputar bola pelo alto com Luan e recebeu o segundo cartão amarelo. A decisão de Anderson Daronco tirou o Brasil-RS do sério. Jogadores foram cobrar a arbitragem e, no túnel para o vestiário, até dirigentes protestaram na passagem da equipe do árbitro. “O Daronco (árbitro da partida) acabou com o jogo”, disse Heverton, zagueiro do Xavante.
Com um a mais, o Grêmio foi mortal. Fez o que mais gosta (avançar com passes curtos), encontrou mais espaços e amassou o Brasil de Pelotas. Everton, justamente no setor onde estava Éder Sciola, abriu o placar. Antes dos 10 minutos, Alisson dobrou a vantagem.
O que era dois virou quatro antes dos 35 minutos. Com Everton, depois de assistência de calcanhar de Jael. E com Ramiro, em forte cobrança de falta com falha de Marcelo Pitol. Nos minutos finais sobrou tempo para gritos de ‘olé’ que embalaram uma linda jogada. O chute parou na trave.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="514393" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]