Greve dos caminhoneiros pode adiar possível classificação de Paranaenses na Série D

Três times paranaenses disputam a Série D do Campeonato Brasileiro e podem ter a possível classificação adiada em função..

Francielly Azevedo - 25 de maio de 2018, 13:29

Três times paranaenses disputam a Série D do Campeonato Brasileiro e podem ter a possível classificação adiada em função da greve dos caminhoneiros. Isso porque a rodada pode ser suspensa caso as equipes não consigam se deslocar para disputar as partidas. Ao todo 34 jogos estão programados para acontecer de maneira simultânea neste domingo 27), às 18h (de Brasília). O primeiro de cada grupo se classifica direto, os segundos dependem da pontuação geral, já que dos 17 grupos, apenas 15 times se classificam para próxima etapa.

Dos times paranaenses, Maringá precisa viajar quase 700 km para enfrentar a Caldense, em Poços de Caldas (MG). A equipe está no Grupo A14, com oito pontos, na segunda posição. Mesma pontuação do Linense, primeiro colocado.

O Cianorte, no Grupo A15, recebe o Tubarão. A equipe catarinense terá que percorrer mais de 900 km até o interior do Paraná. O Tubarão é justamente o primeiro colocado do grupo, com 12 pontos. O Cianorte vem logo na segunda posição, com seis pontos. Mas tem o Novo Hamburgo colado na terceira posição, com cinco pontos.

Já o Prudentópolis, no Grupo A16, viaja mais de 600 km para encarar o Mogi Mirim (SP). O Prude é o terceiro na tabela, com seis pontos. O Mogi Mirim ainda não pontuou. Na segunda posição está o Brusque, com nove pontos, e em primeiro o São José-RS, com 15 pontos.

AEROPORTOS

A Infraero informou nesta quinta-feira (24), que o estoque de combustíveis era crítico em vários aeroportos. Em Brasília e Recife, nesta sexta-feira (25), os vôos já não estavam conseguindo decolar pela falta do combustível.

Além disso, Ilhéus, Goiânia, Palmas, Maceió, Carajás (PA), São José dos Campos (SP) e Uberlândia (MG) também estavam em estado de atenção.

Por meio de nota, a Infraero informou que segue monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais e já alertou aos operadores de aeronaves que avaliem seus planejamentos de voos para que cada um possa definir sua melhor estratégia de abastecimento de acordo com o estoque disponível na origem e destino do voo.

Aos passageiros, a Infraero recomenda que procurem suas companhias para consultar a situação de seus voos.