Morínigo cobra mudança de postura do Coritiba no início dos jogos: "Devemos fazer"

Treinador alviverde availia pontos para o Coxa conseguir atuar bem desde o começo da partida e diz que não está satisfeito com a colocação na tabela até aqui

Gabriel Sawaf - 10 de junho de 2022, 09:25

Geraldo Bubniak/AGB
Geraldo Bubniak/AGB

Após o empate em 1 a 1 contra o São Paulo na noite desta quinta-feira (09), o treinador do Coritiba, Gustavo Morínigo, analisou o comportamento da equipe, que teve um primeiro tempo muito abaixo com relação ao desempenho do segundo.

Para o paraguaio, isso não é uma questão que aconteceu apenas no duelo contra a equipe paulista e que, a questão, passa pelo fator psicológico e de confiança. Morínigo ressalta que o time preicsa atuar da mesma forma nos dois tempos.

“Não conseguimos começar pensando o jogo da maneira que pensamos no segundo tempo. Quase todo segundo tempo temos melhorado o nosso rendimento do primeiro e isso é uma questão de confiança. Chega um momento que se pensa que se pode, que devemos fazer esse tipo de jogo de ir em cima do rival, que devemos fazer no primeiro tempo também”, pontuou. 

Para Morínigo, um dos pontos principais para incosistência da equipe nos inícios da partida se da pela falta de entrosamento, uma vez que o Verdão possui desfalques em relação ao time considerado titular. No momento, o Coxa não conta com os volantes Andrey e Willian Farias, o atacante Léo Gamalho e tem o lateral direito Natanael novamente, que voltou a ser titular contra o Tricolor após quatro meses.

“O time tem muito desfalques. Não é uma desculpa, mas perdemos jogadores que já tem essa ordem tática dentro da cabeça, que a mim me facilita muito pelos movimentos, e estamos como se estivéssemos começando de novo, com diferentes jogadores, que possuem diferentes características”, destacou.

Apesar do Coritiba encerrar o primeiro quarto do Brasileirão dentro da zona de classificação para Libertadores, na sexta colocação, com 15 pontos, o treinador alviverde não está totalmente satisfeito com a campanha da equipe, pois, segundo ele, poderia ser ainda melhor. 

“Sinceramente, sem parecer arrogante, acho que perdemos muitas oportunidades de estar melhor. Há jogos que não deveríamos ter perdido, mas perdemos por jogar mal, culpa nossa. Há jogo que poderíamos ter outro resultado e isso faria a diferença, com dois, três ou quatro pontos mais. Não estou contente, pois sei da força e conheço a capacidade que tem nossos jogadores e nosso time, mas sabemos que estamos em um dos torneios mais difíceis do mundo”, finalizou.

O Coritiba volta a campo no próximo domingo, às 18h, em outro duelo no Couto Pereira, desta vez contra o líder Palmeiras

AGENDA DO CORITIBA

  • Palmeiras - domingo (12/06), às 18h, no Couto Pereira
  • Red Bull Bragantino - quarta-feira (15/06), às 19h, no Nabi Abi Chedid
  • Athletico - domingo (19/06), às 16h, no Couto Pereira
  • Internacional - sexta-feira (24/06), às 21h30, no Beira Rio