Gustavo Morínigo, do Coritiba, é o quarto técnico mais longevo das Séries A e B

Pedro Melo

Coritiba Gustavo Morínigo técnico longevo Séries A e B

Com apenas dez meses de trabalho, Gustavo Morínigo, do Coritiba, já é o quarto técnico mais longevo entre os clubes das Séries A e B. O treinador paraguaio é o segundo se levar em consideração apenas os clubes da segunda divisão, atrás apenas de Claudinei Oliveira, do Avaí.

Além de Morínigo e Oliveira, os outros dois técnicos com trabalhos mais longos são Maurício Barbieri, do Red Bull Bragantino, e Abel Ferreira, do Palmeiras. O primeiro chegou ao time do interior paulista em setembro de 2020 e hoje está na final da Sul-Americana. Já o segundo começou o trabalho em outubro do ano passado e ganhou Copa do Brasil e Libertadores.

Gustavo Morínigo chegou ao Coritiba em janeiro com o rebaixamento para a Série B já praticamente confirmado. A ideia do então presidente Renato Follador era começar o planejamento para a temporada de 2021, com foco justamente no retorno para a primeira divisão.

O trabalho do paraguaio viveu a maior crise quando o Coxa caiu precocemente na fase de classificação do Campeonato Paranaense e terminou em nono lugar entre 12 times. Mesmo com o desempenho ruim no estadual, a diretoria coxa-branca apostou na sequência do trabalho e vem tendo resultado.

Apesar da sequência de quatro jogos sem vencer, o Coritiba é o líder isolado da Série B, com 54 pontos. De acordo com o matemático Tristão Garcia, do site Infobola, o Coxa tem 91% de chance de subir novamente para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

GUSTAVO MORÍNIGO É O TÉCNICO COM MAIS JOGOS NO CORITIBA DESDE 2013

Com o trabalho desde janeiro, Gustavo Morínigo já trabalhou em 50 partidas pelo Coritiba. O último a ultrapassar a marca de 50 jogos foi Marquinhos Santos, que comandou o time em 79 vezes entre 2012 e 2013. O mesmo treinador, na segunda passagem, comandou o Coxa em 49 partidas de 2014 a 2015.

Entre Marquinhos Santos, na segunda passagem, e Gustavo Morínigo, nenhum técnico chegou próximo da marca de 50 partidas no comando do Coritiba. O máximo foi 32 jogos de Paulo César Carpegiani entre 2016 e 2017, e 30 de Ney Franco em 2015 e Umberto Louzer em 2019.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="797249" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]