Hora da verdade: Paraná Clube chega à reta final sem gordura pra queimar

Francielly Azevedo


Oito jogos separam o Paraná Clube da Série A. O Tricolor tem pela frente oito confrontos decisivos para acabar com um pesadelo de 10 anos na segunda divisão. De acordo com o site Infobola, a equipe paranista tem 69% de chance de alcançar o tão esperado acesso. Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (20), o capitão da equipe, zagueiro Eduardo Brock, avaliou essa reta final “sem gordura para queimar”.

“Sabíamos como seria esse final de campeonato. Entramos na reta final e, foi exatamente como dizíamos desde o início: que o Paraná estaria na briga no final, faltando sete ou oito rodadas. Estamos dentro do G4, estamos com grande possibilidade de acesso. Mas tem que ter a cabeça no lugar, saber que precisa fazer bons jogos, porque tem oito decisões pela frente e nesses jogos precisamos conseguir o resultado que é tão importante”, disse.

A menina dos olhos Tricolor é a Vila Capanema. Em casa, o time comandado por Matheus Costa tem mais quatro jogos pela frente (Vila Nova, Oeste, Luverdense e Boa Esporte). Matemáticos analisam que se garantir esses 12 pontos como mandante, o Tricolor pode comemorar o retorno à elite do Brasileirão.

“Hoje temos a oportunidade, de, quem sabe, daqui a oito jogos dar um presente para a torcida, que está tanto aguardando, cada jogo precisamos dar nosso melhor e é isso que a gente vem fazendo. Nem sempre dá para ser perfeito, nós não somos máquinas, nós falhamos também. As vezes é um pequeno detalhe, algumas falhas sim, mas tudo é corrigível”, afirmou.

 

Primeira batalha 

O primeiro duelo nessa reta final do Tricolor é neste sábado (21), às 19h (horário de Brasília), diante do América-MG, vice-colocado da Série B. Se perder, o Paraná pode deixar o G4.

“Temos chance de sair do G4 e temos chance de passar o América. Sabemos da dificuldade que é jogar lá no horto, sabemos da força da equipe deles, mas nós vamos lá para tentar, obviamente, vencer […] Só depende de nós o acesso, só depende de nós permanecer no G4. A gente não pensa em sair do G4, pensamos em permanecer no G4 e é para isso que trabalhamos”, garantiu o técnico Matheus Costa.

Caso a saída do G4 aconteça, o zagueiro Brock acredita que é preciso concentração para voltar a ocupar um dos quatro lugares entre os primeiros.

“Estamos bem confiantes que o trabalho está sendo bem feito e, claro, queremos muito que seja coroado com esse acesso […] Sabemos da importância disso para o clube, para torcida e para cada jogador aqui dentro. Independente se nesses oito jogos sairmos do G4, temos que manter a cabeça no lugar e saber que estamos na briga”, ressaltou.

 

A equipe

O Paraná Clube embarcou na tarde desta sexta-feira (20), rumo à Belo Horizonte (MG), com três desfalques. O lateral-direito Cristovam, o meia Renatinho e o atacante Alemão estão fora pelo acúmulo de cartões.

Na lateral-direita, a tendência é que o técnico Matheus Costa ocupe o Júnior. O jogador atuou na partida passada, justamente substituindo Cristovam, aos 16 minutos do segundo tempo.

No setor ofensivo, é possível que, sem Renatinho, o treinador desloque João Pedro mais a frente. Vitor Feijão completaria o meio campo. O ataque teria ainda Rafhael Lucas na vaga de Alemão, fazendo dupla com Robson.

A boa notícia é o retorno do volante Gabriel Dias, após cumprir suspensão. O jogador retorna ao time titular e Luiz Otávio volta para o banco de reservas.

Sendo assim o palpite é que a equipe paranista entre em campo com Richard; Júnior, Maidana, Brock e Igor; Gabriel Dias, Vinicius Kiss, Vitor Feijão (Giovanny) e João Pedro; Robson e Rafhael Lucas.

 

 

 

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="461563" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]