Artilheiro da ‘era Tite’, Jesus ressuscita na Copa América

Vinicius Cordeiro e Francielly Azevedo

jesus

Pode se dizer que o atacante Gabriel Jesus teve sua ressurreição na Copa América 2019. Ele não balançou as redes na Copa do Mundo da Rússia e acabou virando deboche de grande parte dos brasileiros. No Mundial do ano passado, ele acabou tendo o pior desempenho de um camisa 9 do Brasil em uma Copa do Mundo.

Entretanto, Tite continuou insistindo no jogador. No final das contas, viu seu comandado dar a volta por cima. Com ótimas atuações, Jesus foi decisivo na semifinal contra Argentina e na decisão diante o Peru.

“Estou muito feliz pelo título e por fazer parte desse grupo. Desde a primeira convocação com o professor Tite, pude fazer parte desse longo período. É satisfatório trabalhar com todos e agradecer a confiança”, comemorou.

Com 22 anos, Jesus é o artilheiro da “era Tite”. Desde que o técnico assumiu a seleção, em julho de 2016, o camisa 9 marcou 18 gols. Neymar, com 13, e Coutinho, 12, vem na sequência.

A meta agora é manter o status de titular na seleção. A dupla com Roberto Firmino funcionou e deve ser mantida por Tite – pelo menos até as Eliminatórias.

O que resta agora é ganhar mais espaço no Manchester City de Pep Guardiola. Ou até mesmo procurar um novo clube.

O problema na Inglaterra é a forte concorrência. O brasileiro vive na sombra do argentino Sergio Aguero, maior artilheiro da história dos Citizens.

Previous ArticleNext Article