Justiça condena empresa de games a pagar R$ 30 mil a ex-jogador Edmundo

Folhapress


O comentarista de futebol e ex-jogador Edmundo, 49, conhecido como “Animal”, vai receber R$ 30 mil de indenização por ter sua imagem usada, sem permissão, nos jogos Fifa Manager e Fifa Soccer, entre 2007 e 2009. A decisão cabe recurso.

Nas ações, os advogados de Edmundo alegaram que ele era jogador profissional de futebol e que tomou conhecimento que sua imagem, apelido e características físicas estavam sendo utilizadas pelas rés sem autorização nos jogos eletrônicos.

As empresas contestaram dizendo que o autor não comprovou a utilização indevida de sua imagem nos jogos da Fifa e, muito menos, a efetiva relevância de suas supostas aparições. Outros jogadores estão processando as empresas.

As rés afirmaram que celebraram contrato de licença de imagem com a Fifpro (Federação Internacional de Associações de Futebolistas Profissionais), entidade que representa associações de jogadores profissionais do mundo inteiro. Segundo elas, isso supre a necessidade de autorização individual de cada jogador.

A juíza do Tribuna de Justiça de São Paulo, Maria Cláudia Bedotti, disse que há a utilização nos jogos das imagens de dezenas ou centenas de jogadores. “Não há como se admitir o argumento de que a imagem do autor, por si só, tenha propiciado alguma vantagem ao interventor a ensejar o surgimento da obrigação restitutória”, disse a juíza.

Edmundo atuou como jogador pelo Vasco da Gama, Palmeiras, Flamengo e outros grandes clubes. Ele também teve passagem pela seleção brasileira. Após deixar os campos, ele começou a trabalhar como comentarista de futebol.

O ex-jogador trabalhou durante quatro anos na Fox Sports, mas não decidiu renovar seu contrato com a Disney, que terminou em 31 de novembro do ano passado. O “Animal” estava na emissora esportiva desde 2016, depois de passagens pela Rede TV! e Band, onde ficou sete anos.

Previous ArticleNext Article