Justiça nega pedido e atacante terá que cumprir contrato com Coritiba

Francielly Azevedo


O atacante Gustavo Mosquito teve o pedido de rescisão com o Coritiba negado, nesta sexta-feira (16), pelo Tribunal Superior do Trabalho da 9ª Região (TST). O jogador foi artilheiro alviverde no Campeonato Brasileiro Sub-20 do ano passado, quando o Coxa foi vice-campeão. O vínculo com o clube vai até setembro, mas, insatisfeito, o jovem tentou rescindir por meio da Justiça.

A decisão foi proferida pela ministra-relatora do Trabalho, Maria Helena Mallmann, que considerou que não houve violação na liberdade de trabalho de Mosquito. “A partir do próprio relato do impetrante, noto que não há ameaça de coação de forma concreta à liberdade de trabalho do paciente. A alegação, em tese, de que o paciente está impossibilitado de se desligar do Coritiba Foot Ball Clube não autoriza o manejo deste remédio constitucional extremo. Não há notícia de que o paciente teve tolhida a sua liberdade de trabalho para se transferir para determinado clube. A notícia de atraso/ausência de pagamento de depósitos do FGTS durante a contratualidade pelo terceiro interessado não constitui lesão ou ameaça concreta à liberdade do paciente”, diz o despacho.

Mosquito tem 20 anos e embora seja a revelação do sub-20, ainda não atuou pelo profissional. A nova diretoria do Coxa vinha desde dezembro tentando negociar a renovação, justamente com a proposta de apostar nos garotos da base, porém, sem sucesso, teve a negativa por parte do atleta. Dessa maneira, sem a renovação, a subida do jogador para o time profissional foi segurada e ele passou a treinar em separado.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.