Mais discreto, Bolsonaro ouve vaias e gritos de mito em jogo do Palmeiras

O presidente da República, Jair Bolsonaro, provocou vaias e gritos de "mito" no Allianz Parque na tarde deste sábado (27..

Folhapress - 27 de julho de 2019, 21:20

SÃO PAULO, SP, 27.07.2019: PALMEIRAS-VASCO - O presidente da República Jair Bolsonaro antes da partida entre Palmeiras e Vasco, válida pelo Campeonato Brasileiro 2019 no estadio Allianz Parque. (Foto: Julio Zerbatto/MyPhoto Press/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 27.07.2019: PALMEIRAS-VASCO - O presidente da República Jair Bolsonaro antes da partida entre Palmeiras e Vasco, válida pelo Campeonato Brasileiro 2019 no estadio Allianz Parque. (Foto: Julio Zerbatto/MyPhoto Press/Folhapress)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, provocou vaias e gritos de "mito" no Allianz Parque na tarde deste sábado (27). Depois de evento na Vila Militar Rio de Janeiro pela manhã, Bolsonaro seguiu para São Paulo apenas para ver o jogo do seu time à tarde.

Em campo, o Palmeiras empatou com o Vasco em 1 a 1 e perderá a liderança do Campeonato Brasileiro se o Santos derrotar o Avaí neste domingo (28).

Acompanhado do ministro Augusto Heleno, do deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ) e do secretário nacional do futebol, Ronaldo Lima, o presidente foi embora após o primeiro tempo. Ele esteve na capital paulista apenas para acompanhar a partida e depois viajou para Brasília.

Bem diferente do que ocorreu na última vez em que Bolsonaro esteve em um estádio, na decisão da Copa América, no Maracanã, entre Brasil e Peru, a aparição de Bolsonaro, dessa vez, foi bem mais discreta. Naquela partida, ele foi mais vaiado do que aplaudido.

No Allianz Parque, o presidente entrou no gramado quase uma hora antes da partida começar e ao lado de crianças. Havia poucos torcedores, a maioria estava no lado de fora.

Pouco antes da partida começar, com o estádio cheio, no momento em que os jogadores de Palmeiras e Vasco estavam no túnel e se preparavam para subir ao campo, o presidente apareceu apenas uma vez no telão e passou despercebido pelos torcedores.

Em alguns postes de iluminação, na rua Padre Antônio Tomás, nos arredores do estádio, foram colocados cartazes de protestos contra ele. Na peça, uma foto de Bolsonaro e frases como "Oportunismo político. Aqui não!" e "Vira-casaca. Aqui não!". O texto, de autoria desconhecida, também dizia que "o Palmeiras apresenta qualquer posição política de seus atletas, empregados e colaboradores e ratifica a sua neutralidade nas questões políticas, partidárias, de crenças, religiões e quais outras formas de manifestação".

A reação mais intensa veio durante o intervalo. Após acompanhar o primeiro tempo, o empate por 1 a 1, ao lado do presidente do Palmeiras, Maurício Galliote e alguns membros da diretoria, que o presentearam com uma camisa do clube  e o número 17 nas costas, Bolsonaro passou pelas arquibancadas do setor oeste, o mais caro do estádio e com ingressos a R$ 230, e foi muito requisitado para selfies. Quando pisou no gramado para acessar o vestiário, o presidente foi vaiado principalmente pelos membros das torcidas organizadas.

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro, torcedor do Palmeiras declarado, esteve na arena. Após tomar posse como presidente, sim. Em dezembro de 2018, eleito para o cargo, Bolsonaro foi convidado pela diretoria do Palmeiras para acompanhar o duelo contra o Vitória, pela última rodada do Brasileirão.

Na ocasião, Bolsonaro foi até o campo durante a festa do título e levantou a taça.