Movimento cria hino e bandeira para representar time de refugiados nas Olimpíadas do Rio

Andreza Rossini


Os atletas refugiados que vão participar dos Jogos Olímpicos deste ano, no Rio de Janeiro, serão representados por uma bandeira e um hino, criados por um movimento social para o grupo de esportistas. Dois dos atletas estão refugiados no Brasil.

“Atletas com nenhuma equipe nacional, bandeira e hino para chamar de seu. Sentimos que devemos fazer algo sobre isso. Devemos dar-lhes algo especial. Então começamos nossa jornada em busca de refugiados em todo o mundo”, diz o post no Facebook de um dos idealizadores do movimento, o curitibano Artur Lipori. 

São dez atletas que vão competir representando “A Nação dos Refugiados”, com uma bandeira laranja e preta, que lembra os coletes salva-vidas que usaram para as viagens de fuga. “Um preto e laranja (cores dos coletes salva-vidas) é um símbolo de solidariedade para com todos aqueles que cruzaram o mar em busca de um novo país. Eu mesmo usava um, que é por isso que eu assim me identifico com essas cores e essas pessoas” afirmou Yara Said, responsável pelo design da bandeira. 

“Os Jogos Olímpicos podem mudar a minha vida, talvez a minha família vai me ver e vai se reunir”, afirmou a judoca refugiada  Yolande Mabika, aos organizadores do movimento. Os dez atletas participantes foram anunciados pelo Comité Olímpico Internacional (COI) no dia 3 de junho. 

São cinco corredores do Sudão do Sul, dois nadadores da Síria, dois judocas da República Democrática do Congo e um corredor de maratona da Etiópia, que vão marchar sob a bandeira olímpica na cerimônia de abertura no dia 5 de agosto, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.  

O COI vai disponibilizar um grupo de apoio completo para atender todas as necessidades logísticas, técnicas e de treinamento dos atletas. 

Conheça a página do “The Refugee Nation” nas redes sociais. 

Conheça os atletas

• Rami Anis (homem): País de origem – Síria; hospedagem- Bélgica; esporte – natação.
• Yiech Pur Biel (homem): País de origem – Sudão do Sul; hospedagem – Quênia; esporte: atletismo, (800m).
• James Nyang Chiengjiek (homem): País de origem – Sudão do Sul; hospedagem- Quênia; esporte – atletismo (400m).
• Yonas Kinde (homem : País de origem – Etiópia; hospedagem – Luxemburgo; esporte- atletismo (maratona).
• Anjelina Nada Lohalith (mulher): País de origem – Sudão do Sul; hospedagem – Quênia; esporte- atletismo (1500m).
• Rose Nathike Lokonyen (mulher): País de origem – Sudão do Sul; hospedagem – Quênia; esporte- atletismo (800m).
• Paulo Amotun Lokoro (homem): País de origem – Sudão do Sul; hospedagem – Quênia; esporte- atletismo (1500m).
• Yolande Bukasa Mabika (mulher): País de origem – República Democrática do Congo; hospedagem – Brasil; esporte – judô, (70kg).
• Yusra Mardini (mulher): País de origem – Síria; hospedagem – Alemanha; esporte – natação
• Popole Misenga (homem): País de origem – República Democrática do Congo; hospedagem- Brasil; esporte – judô (-90kg).

Veja a biografia de cada um deles aqui.

Previous ArticleNext Article